Zimbábue calcula que 50 mil pessoas podem ser afetadas por surto de cólera

"...e pestes...” Mateus 24:7

17 de setembro de 2018.

 

O governo do Zimbábue disse nesta segunda-feira que o surto de cólera no país, que já deixou 30 mortos, pode afetar 50 mil pessoas nas próximas semanas.

O presidente do comitê interministerial do cólera, July Moyo, pediu US$ 57 milhões à comunidade internacional para combater a doença e fazer a manutenção dos sistemas de água e esgoto que podem ter desencadeado o surto, informou o jornal "The Herald".

Por enquanto, a capital, Harare, é a mais afetada pela doença, embora haja casos em outras seis províncias e na cidade de Bulawayo, a segunda maior do país.

Segundo o ministro da Saúde, Obadiah Moyo, 30 pessoas morreram e mais de 5.400 foram infectadas desde que a epidemia foi registrada, no início de setembro. No entanto, algumas agências humanitárias calculam que o número de mortos seja de 32.

O surto foi detectado nos subúrbios de Glen View e Budiriro, onde, segundo funcionários do Conselho Municipal de Harare, o vazamento em um encanamento de esgoto teria contaminando a água dos poços comunitários que abastecem moradores dessas localidades.

Harare, assim como outras cidades, não dispõe em muitos bairros de um sistema de água corrente potável, o que obriga a população a recorrer a poços não protegidos.

No último dia 11, o governo declarou estado de emergência, proibiu grandes aglomerações nas ruas de Harare e que ambulantes vendam carnes e frutos do mar nas áreas afetadas, uma medida que alguns cidadãos descumprem, por se tratar de sua única forma de subsistência.

"É essencial que todo tipo de venda ambulante seja proibida imediatamente. Um sistema de operação conjunta foi ativado para eliminar qualquer venda pública", alegou Moyo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) enviou ao Zimbábue epidemiologistas e especialistas para organizar uma campanha de vacinação, além de mandar pacotes com material de hidratação e antibióticos para tratar os pacientes.

Este surto já é o mais letal desde 2009, quando a doença matou mais de 4 mil pessoas e infectou cerca de 100 mil no Zimbábue.

Esta é a quarta vez nos últimos 15 anos que o país sofre uma epidemia de cólera, uma doença tratável que causa vômitos e diarreia intensa, e que pode chegar a ser fatal se não for tratada a tempo.

Fonte: EFE

voltar para Pestes

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||