Viúva trata trauma no norte da Nigéria

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

08 de dezembro de 2017.

A história de Débora se parece com a história de muitas outras viúvas africanas. Seu marido foi morto em um ataque de extremistas islâmicos em 2008. Culturalmente, a família do marido assassinado deve cuidar de sua esposa e filhos, mas, na prática, muitas famílias fazem exatamente o contrário. Eles roubam tudo o que podem da viúva e depois a expulsam. 

Essa é a história de Débora. Ela estava em seu limite, e deixou de ter esperança na vida, quando encontrou força no aconselhamento pós-trauma oferecido pela Portas Abertas. Ela nos contou como tudo aconteceu. 

“Naquela manhã de 2008, muçulmanos começaram a queimar casas, atirar e matar pessoas. Eu coloquei meu bebê nas costas, abri o portão e eu e meu marido saímos. Assim que saímos, atiraram no meu braço e também no peito do meu marido. Ele caiu, dizendo ‘meu coração, meu coração’”, relembra Débora. Ele ainda conseguiu se despedir de Débora, dizendo para ela ser confiante e corajosa. Disse que Deus estaria com ela. 

Além do luto, desamparada pela família do marido

Depois que a cidade voltou à paz, seus cunhados tentaram fazer com que ela saísse da casa onde morava, para que eles pudessem ganhar dinheiro com o imóvel. “Eles não se importavam comigo. O irmão mais velho do meu irmão sempre me insultava, dizendo que iam me expulsar da casa. Então eu cedi e me mudei com meu bebê para uma casa alugada”, conta a cristã. Quando começou a participar do aconselhamento pós-trauma, Débora percebeu que não estava sozinha. Ela descobriu que essas coisas acontecem com muitas outras mulheres. 

Ela compartilha que antes não tinha mais nada não via esperança na vida. “Mas agora minha vida é totalmente diferente. Sou muito grata pelos conselheiros; pessoas que nem me conheciam, mas se importam comigo. Por causa de Deus, eles cuidam de mim. Agora eu penso: ‘Senhor, tu estás vivo!’ Agora minhas lágrimas são de alegria”, celebra a viúva. Débora também testemunha como a Portas Abertas a ajudou com alimentação e pagou a escola do filho. “Eles mudaram minha vida e história. Eu só posso dizer ‘obrigada’”. 

Pedidos de oração

  • Louve a Deus pela provisão em todos os aspectos na vida de Débora. Agradeça também pelos recursos do projeto que ajuda tantas viúvas no norte da Nigéria.
  • Ore para que Deus trabalhe no coração do filho de Débora, para que ele também conheça a Deus e compartilhe da esperança que temos em Cristo com outros.
  • Peça a Deus que continue confortando e encorajando Débora e as outras viúvas, e que elas também possam confortar a outras.
  • Agradeça a Deus pela diferença que o aconselhamento pós-trauma está fazendo na vida de cristãos perseguidos no norte da Nigéria. Ore por aqueles que trabalham nesse ministério.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||