Turquia: Ordens judiciais favorecem famílias de cristãos assassinados

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

03 de março de 2016.

 

Quatro dos cinco agressores, admitiram durante o início do interrogatório, que foram motivados por "sentimentos nacionalistas religiosos"

Em um veredito que chamou a atenção dos turcos, vindo do Tribunal Administrativo da cidade de Malatya, foi determinado pelo Ministério do Interior da Turquia e pelo Gabinete do Governador que as famílias dos três cristãos que foram assassinados em 2007, recebessem uma indenização. Os cristãos trabalhavam na Editora Zirve. Na época, a imprensa local noticiou que quatro dos cinco agressores, todos com idades entre 19 e 20 anos, admitiram durante o início do interrogatório que foram motivados por "sentimentos nacionalistas religiosos".

Duas das vítimas, Necati Aydin, pastor de 36 anos, na época e Ugur Yuksel, que tinha 32 anos, eram cristãos ex-muçulmanos. O terceiro homem, Tilmann Geske, que tinha 46 anos, era cidadão alemão. O jornal turco Zaman informou que cada família dos três funcionários receberá uma indenização que varia de 270 a 330 mil dólares. "A decisão do juiz foi uma grande surpresa. Esse caso demorou muito para ser resolvido pelo tribunal turco e ninguém esperava por justiça. Os outros doze suspeitos de envolvimento no assassinato, porém, foram soltos em 2014, incluindo alguns oficiais do exército. Tudo indica que a indenização é uma tentativa de encerrar o caso para finalmente livrar os suspeitos da prisão. As famílias vão receber o dinheiro, mas a justiça realmente não foi feita", comenta um dos analistas de perseguição.

Turquia está na 45ª posição na Classificação da Perseguição Religiosa de 2016 e a pressão sobre os cristãos é muito mais forte na esfera privada, exercida pela família e pela comunidade. Na esfera nacional, a perseguição não é tão severa, mas o regime visa islamizar o país. Um líder cristão turco, ameaçado pelo Estado Islâmico, comentou sobre a atual situação: "Tudo o que eles dizem nos faz entender que devemos voltar para o islamismo, que nós somos responsáveis ​​por outros muçulmanos que estão se convertendo a Cristo, que o nosso tempo acabou e que Deus vai entregar nossas cabeças a eles". Mesmo assim, a igreja continua crescendo e dando frutos na Turquia. Ore por essa nação.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||