República Centro-Africana: Missão de paz pode conter a violência contra os cristãos

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

15 de agosto de 2016.

 

Embora o país tenha a maioria de sua população cristã, o grau de pressão sobre os fieis é surpreendente

A situação dos cristãos na República Centro-Africana ainda é bem delicada. Os recentes confrontos ocorridos entre o grupo extremista Seleka e o Anti-Balaka, na cidade de Bambari, ilustraram como as condições de segurança no país são falhas. Por conta disso, o Conselho de Segurança da ONU decidiu prorrogar o mandato da missão de paz no país, que poderá se estender até o dia 15 de novembro de 2017, de acordo com a própria ONU. 

Há milhares de cristãos deslocados, muitas propriedades foram destruídas e famílias inteiras tiveram que fugir de suas aldeias para viver em campos de refugiados. Embora o país tenha a maioria de sua população cristã, o grau de pressão sobre os cristãos é surpreendente. Evangelizar continua sendo uma missão muito arriscada, mas a igreja continua perseverando e os fieis não desistiram de compartilhar o amor de Cristo com os muçulmanos.

Durante os cultos que são realizados com bastante cautela, os cristãos clamam para que não haja uma retomada dos conflitos entre o Norte e o Sul do país, pois isso causaria um grande impacto de violência contra a igreja que ainda está em fase de reconstrução e desenvolvimento, assim como todo o país. Além disso, o bom relacionamento do presidente com os líderes religiosos internacionais parece um bom sinal para os cristãos que são perseguidos e atacados. 

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||