Relembre fatos marcantes da igreja perseguida em 2018

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

29 de dezembro de 2018.

Diversos acontecimentos marcaram a Igreja Perseguida ao redor do mundo, mas por meio das suas orações e doações, nós pudemos servir a muitos de nossos irmãos e irmãs. Muitas mudanças ocorreram no cenário político e econômico, além de ataques direcionados aos cristãos. Vamos relembrar alguns dos fatos mais relevantes.

Prisões
Diversos pastores e cristãos que estavam presos em 2018 foram soltos. O primeiro é o pastor Andrew Brunson, que estava detido desde 2016 na Turquia. Ele foi acusado de terrorismo e espionagem. O tribunal o libertou no mês de outubro por conta do tempo cumprido e bom comportamento. Ele estava cumprindo prisão domiciliar desde junho deste ano.

Outro pastor solto foi Oqbamichael Teklaheimaot, preso desde 2005 na Eritreia, por participar de um casamento cristão. Durante esse período, o pastor passou pela solitária, campos militares e prisão. Na Indonésia, o ex-governador cristão de Jacarta, conhecido como Ahok, será solto no mês de janeiro de 2019. Ele que foi preso em 2017, acusado de blasfêmia, estará em liberdade quatro meses antes do previsto por bom comportamento.

Em contrapartida, o pastor Yousef Nadarkhani, do Irã, foi novamente preso de forma violenta. Ele já foi alvo de uma série de prisões ao longo dos últimos anos. Desta vez ele e seu filho foram levados por policiais iranianos. A prisão é vista como uma maneira de intimidar a comunidade cristã local. Ele foi detido pela primeira vez em 2006.

Ataques
Os ataques ao longo deste ano tiveram diversas origens, mas sempre visando a comunidade cristã. Entre os de maior destaque está o ataque a dois ônibus no Egito, que deixou ao menos sete pessoas mortas e quatorze feridas. Os cristãos coptas voltavam de um monastério, quando os ônibus foram atacados, quase no mesmo lugar do ataque ocorrido em maio de 2017.

Na Índia, os ataques foram direcionados a casas de cristãos, sendo deixadas completamente destruídas. Os números têm crescido, principalmente, na região central do país. Além disso, os demais moradores não permitem que as casas sejam reconstruídas.

Em maio, três igrejas em Surubaia, capital da província de Java Oriental, na Indonésia, foram bombardeadas. Os templos estavam cheios de fieis. Pelo menos dez pessoas morreram e mais de quarenta ficaram feridas com os ataques.

Igrejas
As igrejas estiveram sob muita pressão em 2018 e como resultado vimos o fechamento de muitas delas. Dentre os países que somaram milhares de templos fechados estão: China, Argélia, Indonésia, Angola, Ucrânia, Índia, Ruanda, entre outros. Além disso, impedimentos ocorreram em abundância com objetivo de impedir a legalização das igrejas.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||