Relato de batismo de uma igreja secreta no sul da Ásia

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

24 de outubro de 2017.

 

Uma equipe internacional da Portas Abertas foi fazer uma visita de campo a certo país fechado ao evangelho no sul da Ásia. Ali, colaboradores teriam o grande privilégio de participar do batismo de alguns novos convertidos da igreja secreta. Um dia antes do evento, um líder orava: “Senhor, faça com que o tempo esteja bom para que possamos visitar nossos irmãos e irmãs que serão batizados. Leve-nos em segurança”, e todos os outros disseram “amém”.

A reunião, a ser realizada numa pequena igreja, contaria com mais de trinta cristãos ex-muçulmanos. Seria um marco na jornada espiritual deles. A equipe foi advertida a não chamar atenção, porque “o simples fato de levar esses irmãos à igreja era ilegal e o pastor corria o risco de ser preso por isso”, avisou um dos líderes da igreja local.

Quando chegou o dia do batismo, o bom tempo pelo qual haviam orado não veio. Ao invés disso, houve uma incessante chuva forte desde a manhã, formando muitas poças de lama no chão. “Saímos da van, passamos pela chuva e chegamos ao local do batismo em dois pequenos grupos para não chamar a atenção”, diz um dos participantes. Ele compartilha: “Quando sentamos, nosso coordenador local disse: ‘É bom que esteja chovendo’”. Com a chuva, não haveria muitos olhos curiosos de vizinhos muçulmanos do lado de fora. “Oramos por tempo bom, mas Deus nos deu chuva por um propósito maior: segurança”, conclui.

Refugiados são inseridos ao corpo de Cristo

Nos 45 minutos seguintes, homens, mulheres e crianças encheram a igreja. Eram pessoas que foram rejeitadas por seu próprio país por pertencer a uma minoria étnica e religiosa. Por causa disso, alguns anos atrás eles cruzaram o mar para o país vizinho em busca de uma vida melhor.

Na nova terra, o governo não os aceitou totalmente e até hoje têm que se virar com a vida num campo de refugiados, com limitada infraestrutura básica, como eletricidade e água limpa. Quando alguns deles se converteram a Cristo, novamente foram rejeitados por sua comunidade.

Mas Jesus não os rejeita, ele os quer. E, naquele dia, conforme desciam às águas do batismo, os novos convertidos finalmente entenderam que pertenciam a uma família espiritual que os ama e acolhe, e está comprometida em estimular sua fé e seu bem-estar. “Agora vocês fazem parte de uma nova família, o corpo de Cristo”, afirmou o pastor antes de eles tomarem a ceia pela primeira vez.

“Depois do culto, voltamos para o carro debaixo da chuva com a certeza de que Deus tinha ouvido nossa oração no dia anterior, mesmo tendo ‘negligenciado’ nossa oração por tempo bom. Entendemos que ele tinha um propósito maior, de proteger seus preciosos filhos”, afirma um dos participantes da equipe.

Pedidos de oração

  • Louve a Deus por esse grupo de ex-muçulmanos que se batizou
  • Ore para que permaneçam firmados no amor de Jesus, seguros de sua identidade como filhos de Deus.
  • Agradeça a Deus pela coragem do pastor local que os acolheu e batizou.
  • Clame para que a igreja cresça e seja fortalecida entre este grupo étnico-religioso.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||