Refugiado do Holocausto resgata cristãos sírios

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

17 de julho de 2015.

 

Gratidão paga-se com atos de solidariedade. Esse é o nobre exemplo do Lord Weidenfeld, agora com 95 anos, ele mesmo testemunhou do que é o amor dos cristãos genuínos em relação aos seus "irmãos mais velhos", os judeus.

Na altura da anexação da Áustria pelas forças nazis alemãs em 1938, o então jovem de 19 anos Weidenfeld conseguiu escapar de Viena e refugiar-se na Grã-Bretanha. 

E foi exatamente um grupo evangélico que o ajudou no início do seu refúgio na Grã-Bretanha. As assembleias dos "Irmãos" deram ao jovem uma preciosa ajuda, que ele agora sente tem de retribuir e pagar a sua "dívida."

Lord Weidenfeld tornou-se uma nobre personalidade em Londres. Iniciou a sua carreira na BBC, e dez anos depois fundava a editora "Weidenfeld & Nicholson."

Este ex-refugiado tem estado desde há muito envolvido com associações filantrópicas judaicas e israelitas. 

"Temos sido profundamente tocados com o drama dos cristãos em zonas de conflito do Médio Oriente, e estamos por isso a apoiar a transferência de famílias cristã para lugares de refúgio onde possam viver vidas normais" - afirmou ontem Lord Weidenfeld ao "The Times of Israel".

E a primeira ajuda já se traduziu na transferência de 42 famílias cristãs sírias para a cidade de Varsóvia, na Polônia.

Este esforço de resgate destas famílias foi realizado em conjugação com o "Fundo Nacional Judaico."

Weidenfeld revela as razões do seu ato: "Nos anos 1930, milhares de judeus, na maioria mulheres e crianças, foram ajudados por cristãos que assumiram elevados riscos pessoais para os salvarem de uma morte certa. Devemos-lhes a nossa gratidão."

A operação de resgate destas 42 famílias - 149 pessoas no total - foi realizada debaixo do maior segredo. Um avião transportou-as desde Beirute até Varsóvia, onde atualmente se encontram instaladas, mas pedem para não serem identificadas por medo de retaliação contra os familiares ainda na Síria. O governo polaco ofereceu-lhes vistos de entrada e o alojamento temporário na capital foi provido pela "Fundação Ester", sediada em Varsóvia.

Fonte: Shalom Israel.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||