Ramadã: Começa hoje. Entenda como funciona.

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

18 de junho de 2015.

 

"Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês." João 15.20

Quando os relógios do Mundo Muçulmano marcaram 00h do dia 18 de junho o cotidiano de todos os mulçumanos foi alterado. Iniciou-se o mês sagrado para a fé islâmica, 30 dias de jejum e oração, o conhecido Ramadã. Esse período é comum aos seguidores da religião ir à mesquita orar e se dedicar ao estudo do Alcorão. O Ramadã é o nono mês do calendário muçulmano.

O jejum
Considerado um dos cinco pilares do islã, o jejum é uma das formas mais elevadas de adoração islâmica. A abstinência de prazeres carnais e o evitar intenções e desejos malignos são considerados atos de obediência e submissão a Alá, bem como o perdão dos pecados e erros cometidos. Chamado de Ramadã (ou Ramazã), os muçulmanos jejuam durante esse mês sagrado do momento em que o sol nasce até o momento em que se põe. Os muçulmanos consideram o jejum um ato de fé e adoração para Deus deles, procurando suprimir os desejos e aumentar sua pureza espiritual.

Quando o jejum acaba
O ritual é quebrado após o pôr do sol. O profeta Maomé recomendou quebrar os jejuns com encontros. Os muçulmanos são incentivados a convidar outros para quebrar o jejum em comunhão. Logo após quebrar o jejum e jantar, os muçulmanos fazem a quarta das cinco orações diárias, que é chamada de oração Maghrib. Após a janta, os muçulmanos vão para suas casas de adoração, chamadas de mesquitas, para fazerem a oração Isha, que é a última das cinco orações.

Segundo o censo demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil existem mais 35.000 seguidores do islamismo. Muitos praticantes da fé realizam seus rituais em outros países, obedecendo a doutrina.

Os últimos 10 dias
São considerados especialmente abençoados os últimos 10 dias do Ramadã. Para muitos muçulmanos, este período é marcado por uma intensidade espiritual e eles podem passar estas noites orando e recitando o Alcorão.

Após 30 dias de jejum, o fim do mês do Ramadã se finaliza com um dia de celebração. Nesse dia, os muçulmanos se reúnem num local para oferecer uma oração de graças. Tradicionalmente, se utiliza roupas novas e se visita amigos e parentes. Há trocas de presentes e receitas de comidas especiais para essa ocasião são preparadas. Após isso, espera-se pacientemente até que venha o próximo Ramadã.

Poucos sabem, mas o jejum traz muitas implicações e desafios para aqueles que vivem em um país muçulmano e não pertencem à religião islâmica, especialmente para os cristãos. Durante esse período (que nesse ano é de 18 de junho à 18 de julho) são registrados inúmeros casos de intolerância religiosa contra aqueles que professam qualquer outra fé e que não estejam se abstendo de alimentos.

Enquanto os muçulmanos oram a Alá, nós oramos por eles!
Ore pelos cristãos que se encontram no Mundo Muçulmano, para que a providência de Deus os alcance e não aconteçam atrocidades. Durante esse período, os nossos irmãos em Cristo necessitam ainda mais das nossas orações.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||