"Segure minha mão".

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

15 de maio de 2015.

 

Um único programa de alfabetização e instrução para crianças cristãs em aldeias no Egito tem transformado e edificado seus futuros

Em muitos vilarejos do Egito a vida é bastante precária, não oferece qualquer luxo, nem mesmo as necessidades básicas, que são essenciais à vida. Frequentemente, ter água limpa e banheiro dentro de casa é considerado luxo.

Marina, de dez anos, enfrenta uma grande pressão social e cultural por ser a única menina e caçula entre seus cinco irmãos, por pertencer a uma família carente de uma pequena aldeia e, principalmente, por ser cristã. Na cultura islâmica, as mulheres de sua aldeia são vistas em uma posição muito abaixo dos homens, como se fossem criaturas insuficientes, apesar de serem criadas e formadas pela mão do Criador.

O pai de Marina, chamado Isaac, é um agricultor diarista. Ele sai todas as manhãs para ir ao mercado, levando seu almoço, feito basicamente de pão e queijo branco caseiro.

O mercado local é o ponto onde os agricultores mais pobres se encontram, na esperança de serem escolhidos por alguém para trabalhar em seus campos. Quando isso acontece, seu salário quase não é suficiente para comprar comida e itens essenciais para sua família.

Embora os pais de Marina sejam analfabetos e não exista nenhuma escola em sua pequena aldeia, eles desejam que todos seus filhos frequentem a escola pública, que fica na aldeia vizinha.

Nas escolas, os professores muçulmanos deixam as crianças cristãs no fundo da sala, ignorando-as e concentrando-se apenas em ensinar os outros estudantes. Marina era uma das alunas esquecidas.

Graças ao "Segure minha mão", programa iniciado através de igrejas nos vilarejos do Alto Egito, com apoio dos parceiros da Portas abertas, o futuro educacional de Marina e outras crianças cristãs está sendo transformado. O programa é constituído por equipes que viajam para visitar igrejas nas aldeias e vilarejos a fim de entrevistar as crianças que vão à escola, e, com isso, identificar quais alunos precisam de apoio em sua educação. As aulas são divididas em estudos bíblicos, treinamento de escrita, prática de leitura e jogos educativos.

O programa se tornou o ponto alto da semana da Marina. Frequentar às aulas na igreja abriu uma janela de conhecimento e autodesenvolvimento. A diferença entre sua classe na igreja e na escola pública era enorme. Antes, ela era a menor dos 60 alunos ensinados por um professor entediado que só ia à escola para que fosse pago no final do mês. O ambiente nesta sala era sombrio e desanimador.

Em sua classe, do programa "Segure minha mão", havia 20 alunos e eles eram ensinados por uma professora treinada, cristã, amorosa e comprometida. Esse amor e criatividade dos professores e líderes do programa causou um grande impacto na vida dos alunos.

"Me tornei a aluna mais inteligente da minha sala, consegui as melhores notas em todas as disciplinas", disse ela com orgulho. "Os professores da minha escola pública costumavam me ignorar e nunca me faziam perguntas, porque eu era uma das piores alunas da minha sala. Mas agora, todos os professores me consideram a melhor aluna da turma!"

Motivos de oração

 

  • Agradeça a Deus pelo programa "Segure minha mão" e tantos outros que têm abençoado os cristãos no Egito, através da Portas Abertas.
  • Peça a Deus que continue a dar estratégias aos colaboradores e líderes da Portas Abertas no Egito, que eles estejam sensíveis a discernir a vontade de Deus.
  • Peça a Deus pelos cristãos egípcios, que eles permaneçam firmes, mesmo em meio a perseguição e desafios que enfrentam.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||