Ore pelo cristão perseguido no dia mundial da diversidade

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

21 de maio de 2015.

 

Ao comemorar esse dia, a Unesco tenta estabelecer o diálogo para o desenvolvimento, principalmente em países em que a globalização da cultura é fortemente presente nas atividades sociais, econômicas, políticas e religiosas

Segundo a instituição, a incompreensão mútua dos povos exacerbou a desconfiança e o mal entendido entre as nações e a busca pela paz requer o fortalecimento do conhecimento recíproco entre culturas e povos.

Mas não é isso o que presenciamos, diariamente, em países hostis à pregação do Evangelho. Por exemplo, dos 50 países da Classificação da Perseguição religiosa, 40 são muçulmanos e, desses, mais da metade segue a lei estabelecida pela religião islâmica. Nesses países, se converter a outra religião é crime e os cristãos são duramente hostilizados, presos, mortos ou deportados. A desobediência às regras e ordens religiosas é tida como desrespeito à própria tradição e os cristãos convertidos do islamismo são perseguidos pela própria comunidade e, muitas vezes, pela própria família.

Em um desses países, o Turcomenistão, o islã é uma parte importante da cultura. Os ex-muçulmanos, agora cristãos, enfrentam grande pressão para voltar ao islamismo. Filhos de cristãos enfrentam discriminação nas escolas e são excluídos dos benefícios dados a outros estudantes.

Karina*, uma professora turcomena, tornou-se cristã quando sua irmã compartilhou o evangelho com ela. Depois, ela começou a ler a Bíblia e até mesmo traduzir alguns materiais para o turcomano, mas a polícia começou a monitorá-la. Um dia, Karina foi chamada para uma reunião de trabalho, e quando ela chegou, foi recebida pela polícia. Disseram-lhe para renunciar à sua fé. Ela se recusou. Poucos dias depois, seu chefe lhe pediu para renunciar à sua fé novamente. Quando ela se recusou novamente, Karina foi forçada a escrever uma carta de demissão. Ela é solteira, e não tem subsídios de desemprego.

Deus tem trabalhado em diversas culturas, diferentes idiomas e em países em que o nome de Jesus não pode ser citado, e que os direitos humanos são desrespeitados em detrimento de tradição e religião.

Nesse dia, lembre-se de orar ao Deus que trabalha em diferentes culturas para que direitos sejam defendidos e que o Corpo de Cristo seja agente de transformação na sociedade, motivado pela cultura de paz e liberdade que há em Jesus Cristo.

Pedidos de oração

 

  • Por força e perseverança para cristãos e líderes de igrejas que enfrentam pressão constante.
  • Por crescimento espiritual profundo dos cristãos, apesar da proibição da educação religiosa.
  • Pelos ex-muçulmanos, principalmente aqueles que são isolados de suas famílias, para que encontrem comunidades de cristãos que irão apoiá-los.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||