Ore pela pequena Christine e por sua família

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

20 de julho de 2015.

 

Aos 3 anos de idade, ela foi sequestrada pelo Estado Islâmico há quase um ano e sua situação ainda é desconhecida

Arrancada dos braços da mãe pelo Estado Islâmico (EI), a pequena Christine ainda está sequestrada. Ela acaba de completar quatro anos de idade, no sábado, 18 de julho. Onze meses atrás ela levada pelo EI. Durante todo esse tempo, a Portas Abertas permaneceu em contato com os pais da menina por meio de fontes locais e recentemente visitou a família novamente. Ayda, mãe de cinco filhos, explica que seu filho mais velho, de 24 anos, está se casando, mas disse que sua maior alegria seria ver a filha retornando para casa.

No dia 6 de agosto do ano passado, a cidade de Qaraqosh foi invadida por militantes do Estado Islâmico. Khader Abada, o pai da família, é cego, e por esse motivo eles decidiram continuar na cidade, mesmo após a invasão. Eles não tinham nenhum lugar para ir. Então ficaram esperando que os extremistas tivesem misericórdia das pessoas com necessidades especiais, mas isso não aconteceu. Dias depois, a família recebeu a notícia que de eles precisavam fazer um check-up médico. Outros cristãos também foram convocados. A maioria deles ficou em Qaraqosh por razões semelhantes a da família de Christine; por causa de deficiências, em função da idade avançada ou por causa de outras limitações que os impedia de fugir.

O "exame médico" provou ser um pretexto, a fim de roubar as famílias e, posteriormente, deportá-los de Qaraqosh para limpar a cidade. Ao chegar no lugar, a situação no interior do edifício era muito caótica e com guerrilheiros do Estado Islâmico em todos os andares. Os cristãos levaram pertences valiosos, algumas roupas e cartões de identificação. Em determinado momento foi pedido que eles tirassem ouro e outros objetos de valor do corpo e assim os membros do EI tomaram os pertences.

Posteriormente, eles foram obrigados a entrar em um ônibus com as janelas cobertas com terra para bloquear a visão do lado de fora. Ayda continuava com a filha em seus braços. "Então, um deles veio e inspecionou as pessoas no ônibus. Ele andou até nós e pegou a minha menina dos meus braços e apenas se afastou", conta a mãe. Ayda correu atrás do homem que foi chamado de "Fadel," implorando-lhe para devolver a sua filha, mas ele continou seguindo em frente. E assim, Christine foi levada de volta para dentro do prédio.

A família juntamente com outras foi obrigada a entrar no ônibus que seguiu viagem. Em um determinado ponto, a ordem foi para que todos descessem. Eles estavam livres, mas tinham que atravessar um rio, trajeto que se tornou mais complicado para as pessoas com deficiência.

11 meses depois
Hoje, quase um ano depois do sequestro de Christine, ainda não se sabe nada sobre sua situação, localização e se ao menos ela está viva. A busca por informações tem sido em vão. A família tem recebido apoio da Portas Abertas, juntamente com outras famílias em um acampamento de refugiados.

Pedidos de oração
• Mesmo sem saber se Christine está viva ou não, interceda ao Senhor por ela e por sua família; que Deus traga consolo aos seus pais.
• Assim como Christine, outras crianças no mundo se encontram sob posse de grupos radicais. Suplique ao Senhor Jesus por esses pequenos.
• Ore pelos perseguidores, que eles conheçam o Deus vivo e o tamanho do seu poder e amor.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||