O poder da oração pela igreja perseguida

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

27 de junho de 2018.

 

Há dois anos, a Portas Abertas conheceu as irmãs Meena e Sunita, da Índia. Elas compartilharam que conheceram a Jesus por meio de um programa de rádio cristão. Nos primeiros dois anos, escondiam a fé, mas em 2006, se batizaram e passaram a frequentar os cultos na igreja. Porém, há dois anos, os aldeões da vila em que moravam descobriram que elas haviam se tornado cristãs e começaram a pressioná-las. A perseguição começou com privações. Eles disseram que elas não poderiam colher frutas, tirar água do poço ou utilizar a estrada.

As irmãs se esconderam, mas ouviam os aldeões gritando que elas deveriam ser queimadas. Após ir à polícia, voltaram para casa, porém, no mesmo dia, uma moça chegou e começou a intimidá-las. Outras pessoas vieram também e as arrastaram para fora. Alguns homens batiam nelas com varas de bambu. “Eu apenas orava que a vontade de Deus fosse feita, não importasse como. Claro, as batidas eram dolorosas, mas por dentro eu sentia uma alegria imensa. Eu era digna de sofrer por Jesus”, contou Meena.

Apesar dos ferimentos, as irmãs conseguiram fugir para outra vila, onde uma família cristã cuidou e as abrigou. Mesmo com todas as dificuldades, elas permaneceram fiéis a Cristo. “Os outros irmãos são realmente encorajados pela nossa fé. E grandes coisas estão acontecendo em nossa antiga vila. Nós estamos muito felizes. Deus tem recompensado nossas orações e fidelidade. Não apenas nossas orações, mas também as orações de incontáveis pessoas dentro e fora da Índia. Nós reconhecemos a importância dessas orações’.

Meena e Sunita não foram mais espancadas, mas ainda assim enfrentam perseguição diariamente. Por isso, nossas orações são tão importantes. “Se eu pudesse encontrar parceiros da Portas Abertas pessoalmente, eu diria a eles: ‘Muito obrigado. Eu peço que vocês continuem orando por nós, para que possamos levar muitas pessoas a Cristo. Antes da perseguição acontecer, eu não entendia como Deus estava tão perto de nós. Mas ele tem provado ser tão fiel em sua graça e bondade. Ele tem nos mantido sempre. Eu quero que vocês saibam que nós somos muito encorajadas e que permanecemos firmes, mesmo com a perseguição. Nós sabemos que a palavra de Deus se mantém. Eu os encorajo a continuarem firmes em sua palavra, independente das circunstâncias”, concluiu Meena.

30 dias de oração pela Igreja Perseguida na Índia
Neste mês de junho, convidamos todos os parceiros da Portas Abertas a participarem de 30 dias de oração pela Igreja Perseguida na Índia. Disponibilizamos um livreto com testemunhos de irmãos e irmãs indianos e motivos de intercessão. O mês está acabando, mas nosso pedido é que você continue dedicando seu tempo a orar por eles. Que testemunhos como de Meena e Sunita nos motivem a continuarmos envolvidos nesse propósito.

*Nomes alterados por segurança.

 Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||