O compromisso de mulheres mexicanas com a fé

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

04 de julho de 2018.

 

Dominga e Natalia, de 70 e 82 anos, são cristãs mexicanas perseguidas por causa da fé. Elas moram na cidade de San Andres Yaa, no estado de Oaxaca, uma das mais severas quanto à fé cristã. Apesar do constante assédio e ameaças, as irmãs mantêm o compromisso com Cristo. Após a destruição da igreja evangélica na cidade, em 2010, as duas mulheres têm cultuado em San Francisco Yatee, a 40 minutos de distância. Ao saírem, seus vizinhos gritam “Se querem ir cultuar lá, levem as suas coisas e nunca mais voltem”.

A perseguição no local começou em 2006, quando um membro da única igreja evangélica foi expulso, acusado de espalhar falsos ensinamentos. Quatro anos depois, com a destruição da igreja, o pastor Imeldo Amaya e seu irmão foram presos e expulsos da cidade. O motivo foi por apresentarem uma fé diferente do catolicismo. O pastor continua na luta para voltar a San Andres Yaa e trazer liberdade religiosa para outros irmãos.

Com a sua parceria, a Portas Abertas provê recursos para os irmãos perseguidos no México. Além de cultos ministrados em espanhol e zapoteco – língua indígena falada na região – são oferecidos treinamento aos cristãos e serviços jurídicos ao pastor Amaya. Apresente em oração os membros desta comunidade que participam de cultos secretos nas casas. Ore também por aqueles, que como Dominga e Natalia, compartilham a fé, apesar da perseguição.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||