Mathayo Kachila, um pastor que deixou saudade

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

11 de fevereiro de 2017.

 

Ele se tornou conhecido por ser um evangelista espirituoso, cujas mensagens sobre a salvação levaram muitos aos pés de Jesus e até ao batismo

Hoje faz exatamente quatro anos que o pastor Mathayo Kachila foi assassinado violentamente por uma multidão muçulmana. Durante uma visita recente à viúva Jane Roza*, um dos colaboradores da Portas Abertas descobriu que ela ainda vive uma luta diária para lidar com a perda de seu amado esposo e ainda tem de criar sozinha seus 11 filhos.

“Antes de me aproximar dela e dos filhos, fiz uma breve oração para Deus me ajudar a ser sensível à dor dessa família. Quatro dos filhos permaneceu por perto o tempo todo”, disse o colaborador. Jane, muito abatida, contou a ele sobre os tumultos que ainda existem entre muçulmanos e cristãos em Buseresere, região onde vive. “Havia muitos conflitos entre aqueles que trabalhavam no abate de animais. Quando os muçulmanos souberam que havia um não-muçulmano fornecendo carne, passaram a aterrorizar os cristãos”, ela lembra.

Na ocasião da morte do pastor, houve uma grande briga entre muçulmanos e cristãos durante dois dias seguidos, com saques às vilas cristãs, muita agressão e violência. Muitas pessoas ficaram feridas e Mathayo estava a caminho de casa quando tudo isso aconteceu. Ele se envolveu no tumulto e foi ferido de maneira fatal”, conta a esposa, que estava em casa enquanto ele foi levado ao hospital. “Um vizinho veio me dar a notícia da morte do meu esposo, naquele momento me senti como se fosse abandonada por Jesus”, lamentou.

Centenas de pessoas assistiram ao funeral de Mathayo. Foi a primeira vez que algo assim aconteceu por lá e os cristãos ficaram atordoados. Restou a saudade de um bom pastor e um homem de família trabalhador. Ele se tornou conhecido por ser um evangelista espirituoso, cujas mensagens sobre a salvação levaram muitos aos pés de Jesus e até ao batismo. Infelizmente, a justiça humana não foi feita.

“Antes de morrer, ele disse quem foi seu assassino, um vizinho bem conhecido. Testemunhas confirmaram, mas as autoridades o prenderam por pouco tempo e depois o soltaram”, disse a viúva. Embora a família passe por dificuldades financeiras atualmente, o pastor deixou uma boa casa para a família morar, que ele construiu com as próprias mãos. O que conforta tanto Jane Roza quanto os cristãos na Tanzânia é o fato de Mathayo estar nos braços do Pai. Jane sente muito sua falta, mas sabe que um dia estará também com ele.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Pedidos de oração

  • Jane Roza ainda sente muito a falta de Mathayo, seu marido e pastor. Ore a Deus pedindo o consolo do Espírito Santo, tanto para ela quanto para os filhos.
  • A igreja na Tanzânia enfrenta muitos desafios e ações violentas vindas de extremistas muçulmanos. Peça por paz e perseverança.
  • Ore também pelos perseguidores, que de alguma forma eles sejam impactados pelo amor de Cristo.

Juntos pela África 
Os cristãos de alguns países da África Subsaariana enfrentam uma das piores perseguições de sua história. No dia 11 de junho, data escolhida para o Domingo da Igreja Perseguida 2017, juntos faremos mais pelos nossos irmãos dessa região. 

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||