Livre da prisão, cristã iraniana recebe aconselhamento

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

31 de janeiro de 2018.

Saman é uma cristã que congregava e servia a Deus em uma rede de igrejas que crescia a cada dia no Irã. “Por quase 14 anos servimos o Senhor sem problemas sérios. Tínhamos atividades na igreja quase que diariamente e todos os fins de semana viajávamos para outras cidades, onde começávamos igrejas. Nosso grupo crescia constantemente com os novos cristãos; Darya* era um deles”, diz Saman.

Saman estava servindo em uma reunião de jovens quando houve uma batida policial. Naquela noite, várias casas de membros da igreja foram invadidas. Darya estava em casa, mas não foi presa e destruiu a agenda com contatos dos membros da igreja. Samam foi presa, assim como outros membros da família. Ela passou 44 dias esquecida na prisão.

“Na prisão senti mais Deus do que nunca na minha vida, mas, ao mesmo tempo, senti ele mais distante. Em certos momentos, eu duvidava da sua existência. Minha maior dor era a preocupação com minhas irmãs. Toda vez que eu ouvia uma mulher chorar em algum lugar distante, eu parava e colocava meus ouvidos na parede tentando distinguir se era uma das minhas irmãs em perigo”, conta.

A vida pós-prisão

Depois que saiu da prisão, não pôde voltar à vida antiga. Mesmo fora da prisão, as autoridades continuavam seguindo-a. Visitar outros cristãos ou igrejas se tornou impossível. Quando a pressão passou a ser demais, ela decidiu fugir junto com alguns de seus companheiros de igreja que também passaram pela prisão.

Juntos, eles encontraram uma nova igreja local para visitar, mas não foi o que esperavam. “Estávamos traumatizados por causa da prisão, mas quando saímos não havia ninguém para cuidar de nós. Nos sentimos esquecidos pela igreja e também por Deus. Orávamos, mas não como antes. Líamos a Bíblia, mas achávamos difícil receber algo. Nós fomos a uma igreja local, mas não houve nenhum cuidado especial para nós. Eles apenas nos pediram para servir”, conta Saman.

Aconselhamento pós-trauma para cristãos perseguidos

A cristã foi convidada a se juntar ao programa de aconselhamento pós-trauma para ex-prisioneiros organizado pela Portas Abertas. Durante a conferência de cinco dias, eles receberam ensino prático sobre traumas de várias formas, inclusive através de terapia artística. À noite, os pastores compartilhavam sobre o assunto a partir de uma perspectiva bíblica.

A cristã agradece e diz querer transmitir tudo o que aprendeu a outros. “Durante este treinamento, todos os elementos foram combinados perfeitamente. A conferência foi tão boa que gostaria de ter tido antes. Quero transmitir essa informação a outros iranianos na mesma situação”. Ore para que mais cristãos perseguidos e presos sejam alcançados com a cura da alma e renovo do Senhor.

*Nomes alterados por segurança.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||