“Eu teria caído se vocês não tivessem escolhido nos ajudar”

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

21 de fevereiro de 2018.

No dia 20 de junho de 2015, uma multidão interrompeu o culto que Debebe* organizava em sua casa. O grupo agrediu cerca de 40 membros que estavam na reunião. Eles se sentiam ofendidos pelos esforços evangelísticos dos cristãos. O principal alvo no ataque foi Debebe, ele praticamente foi deixado para morrer no local, com graves ferimentos na cabeça e mandíbula. Outros seis membros também sofreram lesões e precisaram de atendimento médico. Os agressores destruíram a casa e deixaram tudo em pedaços. Eles também saquearam dinheiro e celulares.

Depois do ocorrido, a Portas Abertas, através de parceiros locais, ajudou a fornecer fundos para cobrir os custos médicos do cristão perseguido. Além disso, Debebe também recebeu ajuda para reparar os danos na casa e continuar o trabalho de sua fazenda; custos para o arado, sementes e fertilizantes foram cobertos. Quando a família já estava mais restabelecida, parceiros da Portas Abertas retornaram ao vilarejo para apresentar o treinamento Permanecendo Firme Através da Tempestade (PFAT), que ajuda cristãos a desenvolver uma visão bíblica e uma resposta à perseguição.

Recuperada depois do ataque, família agradece o apoio

Um pouco mais de dois anos depois, a família está indo muito bem física e emocionalmente. Debebe continua a cultivar para sustentar a família. Ele está forte e continua trabalhando, mesmo com alguns problemas físicos. “Por causa do sangramento, às vezes perco forças no trabalho. Mas eu estou bem, graças a Deus. Eu poderia ter morrido naquele ataque, mas Deus me salvou da morte”, afirma o cristão perseguido. Com a renda que ganha, Debebe pode enviar os filhos para a escola.

O que mais eu temeria? Agora sei que nada pode me afastar de Deus. Entendi que eu sou dele. Venha o que vier, mesmo que eu morra agora, não estou mais preocupado. Entendo que Deus está comigo. Fico tão feliz quando sou desafiado porque sei o que está esperando por mim no céu. Receberei uma coroa de Deus”, afirma Debebe, depois de participar do PFAT.

Eu guardei a Bíblia queimada para que os outros vejam que esse tipo de perseguição ainda é uma realidade. Quero que todas as pessoas vejam que isso pode acontecer quando seguimos a Jesus. O que aconteceu está no passado, é história. Nossa vida atualmente é boa”, explica a esposa de Debebe, Aynalem*. Afirmando não ter medo nem amargura, Aynalem agradece aos parceiros da Portas Abertas por todo amor e apoio. “Que Deus abençoe todos que nos apoiaram. Não tenho palavras para agradecê-los. Eu poderia facilmente ter caído se vocês não tivessem escolhido nos ajudar”, conclui a cristã perseguida.

*Nomes alterados por segurança.

A Igreja Perseguida da África conta com você
Você também pode ajudar a levar esperança a cristãos perseguidos. Um projeto da Portas Abertas apoia mais de 10 mil cristãos na África Subsaariana neste ano por meio de programas de empoderamento socioeconômico. Esses treinamentos dão aos cristãos independência e dignidade para serem capazes de transformar as próprias vidas, família, igreja e comunidade. Clique aqui.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||