“Eu pensei que fosse o único cristão em meu país”

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

17 de setembro de 2015.

 

É possível ser um cristão por décadas sem a sua família saber? Para muitos cristãos ao redor do mundo, isso parece impossível. A conversão a Cristo não deveria ser secreta, mas em muitos países os cristãos são obrigados a viver assim. *Mohammed, um homem aposentado em seus sessenta anos, é o exemplo perfeito disso. O pastor de uma igreja da Tunísia conseguiu um encontro dele com um analista da Portas Abertas, por isso é possível conhecer detalhes de sua vida.

Mohammed tem sido cristão desde o final dos anos 60. Casado desde os anos 80, sua esposa e filhos ainda não sabem que ele é um seguidor de Jesus Cristo – um cristão com origem mulçumana. A conversão do islamismo para o cristianismo significa enfrentar hostilidade e rejeição, perda de familiares e amigos, ou ainda pior, enfrentar severa perseguição. “Eu era provavelmente o primeiro fiel em minha cidade, agora existem muitos outros. Eu sou apenas um tunisiano seguidor de Jesus”, diz ele ao analista.

“Tudo começou com um rádio. Quando eu tinha uns doze anos de idade, encontrei uma estação de rádio cristã transmitida de Cartum, no Sudão. Eles falavam em árabe sobre Jesus e eu ouvia com frequência. Anotei o endereço mencionado por eles e comecei a escrever cartas, perguntando sobre bibliografias, e pequenas brochuras chegaram. Fiz um curso bíblico por correspondência. Em sete meses eu já estava convertido e pensava ser o único cristão em meu país”, conta Mohammed.

Alguns anos depois, ele conheceu um crente franco-tunisiano, casado com uma mulher francesa. Juntos, eles começaram a ler e estudar a Bíblia. “Nós fizemos um curso na França e ficamos com missionários no país, já que na Tunísia não havia lugar para reuniões. Mais tarde me casei com uma muçulmana, mas ela não soube da minha conversão, nem meus pais souberam”, ele revela. Depois de muitos anos, ele encontrou uma igreja na Tunísia: “É bom estar entre irmãos, orar e ler a Bíblia, a Palavra de Deus nos dá forças”, finaliza o cristão secreto.

*O nome foi alterado por motivos de segurança.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||