“A oração pode fazer coisas milagrosas”

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

04 de outubro de 2014.

 

O pastor Askar* é casado e pai de dois filhos. Ele é um homem corpulento, jovial com um timbre de voz forte e aparentemente com um sotaque de origem russa ou da região asiática central. No entanto, ele é chinês.

Esse pastor é da província chinesa de Xinjiang e pertence ao grupo étnico uigur. A província de Xinjiang está localizada na parte noroeste da China e faz fronteira com países como Cazaquistão, Quirguistão e Rússia. Como resultado, os uigures são uma fusão de todas essas diferentes culturas; são anteriores à era da Rota da Seda e têm sido uma grande minoria étnica na China por muitos anos. Hoje, há mais de 10 milhões de uigures vivendo na China.

Nos últimos anos, extremistas islâmicos assumiram o controle nessa região. Ataques violentos vêm ocorrendo, incluindo a chacina à espada de pessoas inocentes em estações de metrô. O povo chinês tem medo dos uigures por causa desses ataques e os tem excluído do restante do país.

Pessoas do grupo uigur têm dificuldades para pegar voos comerciais, pois muitos dos chineses Han (maioria étnica) desconfiam deles. De fato, no dia em que a Portas Abertas encontrou o pastor Askar em uma cidade no leste da China, ele havia sido recusado por três hotéis até finalmente encontrar um lugar. Tudo isso por causa da sua identidade, que indica que ele é um uigur.
  
Como resultado, o pastor Askar basicamente não deixa sua região. Ele está isolado de outros cristãos, de grupos de líderes ou de treinamentos. O crescimento de sua fé depende do seu estudo solitário da Bíblia e de todo e qualquer livro cristão que estiver ao seu alcance. 

"João 17 é a minha passagem predileta da Bíblia", compartilha ele. "Os versos de 1 a 5 focam em Deus e em Jesus, 6 a 19 focam nos discípulos de Jesus, e 10 a 20 focam no resto do mundo. Que passagem maravilhosa para compartilhar com aqueles que estão buscando a Cristo!"

"É muito difícil fazer tudo que nós cristãos somos chamados a fazer, quando somos forçados a nos encontrar em secreto. Mas temos encontrado maneiras de seguir os mandamentos de Deus", afirma Askar”."No verão, nós precisamos esperar até a meia-noite, e só então ir até o lago para batizar novos cristãos. Desse modo, ninguém nos vê. No entanto, no inverno é muito frio para fazer desse jeito, então eu batizo novos cristãos, dentro de casa, com uma garrafa de água".

O pastor Askar recebeu de Deus um chamado para servir os muçulmanos em sua área e tem visto o Espírito Santo  agir quando ele e os membros de sua igreja fazem abordagens.

"Eu oro pelos muçulmanos porque eu já vi que a oração pode fazer coisas milagrosas", compartilha. "Eu oro para que Deus dê a eles visões de Jesus em seus sonhos, pois muitos já se converteram dessa forma. Minha congregação faz uma oração enquanto anda em volta da mesquita toda sexta-feira. Oramos para que eles tenham um verdadeiro encontro com Jesus. E, eu oro por oportunidades de cura, pois Deus já fez inúmeros milagres e muitos, por consequência, renderam-se a ele".

O pastor também afirma: “Apesar das dificuldades, Deus me deu um coração para ministrar para o povo uigur, e essa paixão tem sido constantemente renovada".
 
Ao ser questionado de como outros cristãos podem orar por ele, responde: "Eu preciso de ajudantes – assim como Deus trouxe Timóteo para Paulo. Eu tenho muitas coisas para fazer e, por isso, oro para que o Senhor traga alguém que possa me ajudar com todas as coisas que vem com o ministério nessa região".
 
*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||