Laos: “Eu o seguirei”

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

26 de julho de 2017.

 

Um jovem laosiano teve um encontro com Cristo, foi perseguido pela própria família, mas decidiu ser fiel a Deus

Recentemente, contamos a história de Cheu*, que conheceu Jesus através de um tio cristão, na ocasião em que sua esposa esteve doente e foi curada após orações. Logo depois de sua decisão de se converter ao cristianismo, ele já teve de enfrentar a perseguição religiosa em seu país. Laos é a 24ª nação na atual Lista Mundial da Perseguição, onde seguir a Cristo significa ser perseguido. “Eu já sabia que a perseguição viria. O chefe da aldeia autorizou meu irmão e meu tio me tratarem com hostilidade e violência”, disse ele.

“Na época, minha esposa estava grávida. Eu a enviei para o meu sogro, a fim de protegê-la. Meu tio e meu irmão vieram buscar minha motocicleta, depois me amarraram e me ameaçaram. Disseram que se eu não voltasse à antiga fé, eles me matariam”, lembra. O cristão explica que perto do anoitecer, pediu orientação a Deus. “Depois disso, orei por eles, pedi ao Senhor para perdoá-los e pedi perdão por mim mesmo, pois eu tive que mentir. Eu disse que retornaria à fé antiga, então eles me desamarraram. Bem cedinho, eu busquei minha esposa, entramos em um ônibus e fugimos para cá. Ninguém sabe onde estamos, mas ouvi dizer que estão espalhando pela aldeia que, se voltarmos, eu morrerei”, explica Cheu.

O jovem foi criado pela mãe e pelo irmão. Quando ele tinha 12 anos, seu pai faleceu e, ele precisou seguir a educação ensinada por um dos tios. Para eles, Cheu foi rebelde. “Apesar do que fizeram comigo, não tenho mágoas e nada poderá interromper minha nova crença. Eu não voltarei à cultura da minha família, ao contrário, eu vou continuar acreditando em Jesus e vou sacrificar minha vida a ele, se for preciso. Eu o seguirei”, disse com convicção.  Agora o casal vive numa comunidade cristã, distante de casa, onde foi bem acolhido e recebe o auxílio necessário, além do amor da nova família em Cristo. “Sinto saudade da minha mãe e, apesar de tudo o que aconteceu, estou feliz por agora caminhar com Jesus. Aqui somos livres para o adorar e temos paz em nosso coração”, conclui o cristão.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||