Jovem cristão é acusado de blasfêmia

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

23 de fevereiro de 2018.

Patras Masih* é um cristão de 22 anos que trabalha como faxineiro em um banco, onde seu pai também trabalha como motorista. Algumas semanas atrás, Masih postou uma foto em um grupo de amigos (tanto cristãos como muçulmanos). O homem que registrou a denúncia de blasfêmia contra Masih disse que pediu ao administrador do grupo que falasse para ele retirar a foto, mas ele se recusou, deixando as pessoas chateadas e com raiva.

A mãe de Masih, Saima Bibi*, disse que no último domingo, 18 de fevereiro, por duas vezes o filho foi procurado em casa por dois grupos de pessoas, que tinham sua foto. Quando ele chegou em casa, não entendeu porque as pessoas estavam atrás dele. Ela conta que na manhã do dia 19, Masih saiu cedo de casa com seu pai para trabalhar. Mas um amigo lhe telefonou dizendo que uma multidão estava se formando do lado de fora. “Então os dois fugiram e eu fui para casa. Quando a polícia bateu na minha porta, eu estava no banheiro. Eles procuraram, mas não me acharam. Quando foram embora, fui para o segundo andar e pulei para a casa do vizinho”, relata a mãe do cristão sobre a fuga.

Com ameaças, muçulmanos pediam o enforcamento de Masih

Um pastor local que pediu anonimato disse que vários homens se juntaram e pediram que lhe entregassem Masih sob ameaça de colocar fogo nas casas, pois já possuiam gasolina. Então a polícia chegou com um grupo de líderes religiosos para tentar negociar com a multidão. Os policiais conseguiram desbloquear a estrada, mas os manifestantes continuaram pedindo a prisão e enforcamento público de Masih. O tio dele, Arif Masih*, disse que de noite, quando a multidão estava ficando fora de controle, eles foram até a delegacia entregar Masih a eles. “Desde então, não sabemos o que aconteceu com ele”, completa. 

Nos últimos anos, o uso das redes sociais se tornou uma árdua questão no Paquistão. De setembro de 2012 a janeiro de 2016, o Youtube ficou bloqueado no país. Em março do ano passado, o Facebook também foi ameaçado de ser completamente fechado se todo conteúdo que indicasse blasfêmia não fosse removido. Em maio, um adolescente cristão de 16 anos, Nabeel Masih*, foi preso sob a acusação de postar uma foto blasfema em uma rede social. Ore pelos cristãos paquistaneses, para que tenham sabedoria para usar as redes sociais e se relacionar com seus vizinhos e amigos muçulmanos. Que a vontade do Senhor prevaleça sobre todas as coisas. (Essa história continua).

*O nome Masih, que deriva da palavra “messias” em árabe, é usado há muitos anos no Paquistão para designar homens cristãos. Bibi é um termo respeitoso para uma mulher cristã.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||