Investindo no futuro dos cristãos perseguidos

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

27 de março de 2017.

 

“Eu sempre quis estudar, mas com tantos compromissos familiares nunca sobrou dinheiro para investir em mim; participando do Programa de Alfabetização eu pude realizar esse desejo”

No Butão, tudo o que os cristãos fazem é rigorosamente monitorado pelas autoridades. A perseguição aumentou consideravelmente desde o ano passado, quando o país ainda ocupava a 38ª posição na Lista Mundial da Perseguição; atualmente ocupa a 30ª. O número de casos violentos contra a igreja no país também cresceu, juntamente com a pressão em todas as áreas da vida. Para conduzir um curso de alfabetização que também evangeliza os butaneses, os líderes atuantes precisam “disfarçar” suas salas de aula.

“Para evitar complicações com o governo, anexamos materiais em dzongkha (língua sino-tibetana falada por mais de meio milhão de butaneses e a única língua oficial e nacional do Reino do Butão), juntamente com o nepalês que é a língua materna”, explica Lazarus*, um dos professores e líderes do Programa de Alfabetização no país, organizado pela Portas Abertas. As aulas são realizadas duas vezes por semana, durante duas horas por dia e já existe um grupo de alunos que se formará em abril desse ano. “Durante 10 minutos, cada aluno pode compartilhar algo que aprendeu lendo a Bíblia ao longo dos sermões na igreja. Eu não trabalho apenas com adultos, mas também com a juventude e espero que, entre eles, outros professores possam surgir para seguir em frente com esse projeto”, compartilha Lazarus, já de olho no futuro.

Rai* conta que agora que pode ler a Bíblia, tem a oportunidade de compartilhar as boas novas com seus filhos. O motorista de táxi, de 37 anos, aceitou Jesus como seu salvador em 2011. “Eu sempre quis estudar, mas com tantos compromissos familiares nunca sobrou dinheiro para investir em mim. Participando desse programa eu pude realizar esse desejo. Eu era limitado e impedido de falar do evangelho para outras pessoas, mas agora estou envolvido no ministério de evangelização, o que fez de mim um cristão mais feliz”, disse. Atualmente, Rai prega a palavra regularmente na igreja onde frequenta.

Ajude jovens perseguidos
Se assim como nós, você sente alegria em ajudar os cristãos perseguidos, conheça os projetos realizados pela Portas Abertas e colabore. Um deles é o “Treine Jovens Cristãos” que já alcançou jovens butaneses. “Em Deus, eu tenho uma nova inspiração e uma nova esperança. Deus nunca olha para o meu passado, mas para o meu futuro. Então, eu farei o meu melhor para servir ao Senhor e obedecê-lo”, disse Karen* que é a única cristã de sua família e participou de um acampamento para jovens no Butão.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||