Indonésia: Governador cristão é julgado por blasfêmia

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

13 de janeiro de 2017.

Ele explicou que citou o verso do alcorão que proíbe o uso das escrituras islâmicas para benefícios políticos

O governador cristão indonésio, Basuki Tjahaja Purnama, mais conhecido como "Ahok", lutou contra as lágrimas durante o primeiro dia de seu julgamento de blasfêmia, em 13 de dezembro. Alguns líderes muçulmanos acusaram-no de insultar o islã citando o alcorão. Ele pediu desculpas e reconheceu que fez alguns comentários dirigidos a políticos, mas que suas palavras não eram críticas aos versos do livro sagrado dos muçulmanos.

O julgamento foi transmitido ao vivo pelas emissoras de TV indonésias. O governador alegou sua inocência dizendo ao tribunal: “Eu nunca tive a intenção de insultar os muçulmanos ou seus líderes. Sendo assim, suplico aos juízes que considerem o meu argumento”. Ele também explicou que citou justamente o verso do alcorão que proíbe o uso das escrituras islâmicas para benefícios políticos.

Mas uma versão “editada” desse discurso se tornou viral e provocou a indignação da comunidade muçulmana. Ele passou a ser investigado e, desde então, aumentou o número de ataques dirigidos aos cristãos por grupos extremistas. O clima continua tenso. Analistas estão preocupados com a hostilidade dos muçulmanos moderados em relação a Ahok. Lembre-se dele em suas orações.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||