Índia: Radicais querem associar o hinduísmo ao cristianismo

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

28 de abril de 2016.

 

Um movimento radical hindu relançou um livro que diz que Jesus Cristo se chamava Keshao Krishna e que o cristianismo foi iniciado no meio deles

Um relatório do The Times of India, informou que o movimento radical hinduRashtriya Swayamsevak Sangh (RSS) republicou um livro intitulado por "Cristo Parichay", que traduzido quer dizer "Cristo era hindu", originalmente escrito em 1946, por Ganesh Savarkar. O livro gera grandes polêmicas porque faz uma série de reivindicações não bíblicas sobre Jesus Cristo e o cristianismo e ainda explica como o verdadeiro nome de Cristo foi "Keshao Krishna" e que o Tamil era sua língua materna. Ainda segundo o relatório, o culto essênio afirma que resgatou o Cristo crucificado, reanimando-o com plantas medicinais e ervas do Himalaia e que Jesus morreu na Caxemira. Para eles, o cristianismo começou, portanto, inicialmente como um culto hindu.

"O que podemos ver é que com essa republicação o RSS tenta estabelecer ramos cristãos no seio da organização hindu. Logo, se eles acreditam que o cristianismo tem origem no hinduísmo, é lógico que eles vão alegar que os cristãos pertencem a eles. Então, como podemos explicar o motivo de tanta violência contra os seguidores do cristianismo? Por que é que os hindus radicais atacam as igrejas, espancam os cristãos e os perseguem dessa maneira? Isso simplesmente não faz o menor sentido", comenta um dos analistas de perseguição.

Índia é o 17º país na atual Classificação da Perseguição Religiosa, onde os cristãos são perseguidos tanto por grupos extremistas hindus quanto por muçulmanos e outros grupos radicais. Igrejas são atacadas durante os cultos de adoração a Deus, e há relatos de que, em algumas situações, as vítimas foram atendidas apenas no Pronto Socorro, sendo negado a elas o direito à internação para maiores cuidados médicos, por motivos de preconceito religioso. Apesar de tudo, a igreja indiana permanece em crescimento e firme na fé. Em suas orações, interceda por eles.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||