Fortaleça o que resta e o que está para morrer no Iraque

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

24 de outubro de 2014.

 

Há 1.600 anos, Mosul está no coração da cultura cristã no Iraque. Até meados deste ano, quando os cristãos locais foram forçados por extremistas ultrarradicais do Estado Islâmico a se converter ao islã, fugir ou morrer.

"Minha filha foi a primeira a nascer no exílio", diz o cristão Abu Safwan, carregando a pequena criança em seus braços, em meio ao barulho dos cristãos iraquianos deslocados abrigados em uma igreja nos arredores da capital jordaniana, Amã.

"Militantes do Estado Islâmico nos arrancaram e nos expulsaram do nosso país. Saímos de Mosul quebrados", diz Safwan. "Eles tomaram nossas casas e empresas e mataram nossos líderes religiosos. Como a gente vai poder voltar para lá?"

No início deste mês, a Organização das Nações Unidas disse que militantes do Estado Islâmico cometeram diversos abusos aos direitos humanos e "atos de violência de natureza cada vez mais sectária no Iraque".

A entidade alegou que o grupo realizou possíveis crimes de guerra, incluindo execuções em massa, uso de crianças como soldados e o sequestro de mulheres e meninas para serem usadas como escravas sexuais.

Mantenha a Igreja viva no Iraque!
A Igreja iraquiana precisa de você para continuar viva e cumprir o seu papel. Fortaleça-a em oração e ajude

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||