Etiópia: Vivendo através da tempestade

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

09 de maio de 2017.

 

Conheça a história de uma família etíope que venceu uma fase difícil e teve a providência de Deus em meio à dor

Em toda a África Subsaariana, região também conhecida como África Negra, situada ao sul do deserto de Saara, há perseguições violentas, casas de cristãos são roubadas deixando as famílias em situação de vulnerabilidade e muitos ocorridos acabam em morte. É o caso de uma família cristã etíope que presenciou a morte de Motumo Kemede*. Seu filho Wasihun* e sua filha Bachu* ficaram feridos. A esposa quase entrou em desespero. Ela recebeu ajuda da Portas Abertas e da igreja local. Hanna*, uma das colaboradoras esteve com eles em recente visita e forneceu mais detalhes.

Ao chegar à casa de lama como o teto de chapa, ela foi carinhosamente abraçada pelas crianças da família. Buze* agradeceu a visita e então as duas se sentaram em um banco, do lado de fora da casa, para conversar, enquanto as crianças voltaram a brincar. Faz quatro anos que a família perdeu Kemede. Buze contou que eles eram os únicos cristãos em sua vila e que sempre enfrentraram insultos e ameaças por se recusarem voltar para o animismo, principal crença das pessoas naquele lugar. Embora Kemede explicasse aos aldeões que não podiam participar daqueles rituais, eles não entendiam, por isso foi morto em agosto de 2013, por sua dedicação e fidelidade a Cristo.

De acordo com a mãe, Wasihun tinha apenas sete anos quando tudo aconteceu. "Todos adormecemos ao som da chuva no telhado e acordamos no meio da noite quando uma multidão invadiu a casa. Um dos três agressores entrou gritando: Agarre-o! E então arrastaram meu marido para fora e bateram nele até não se mexer mais e depois fugiram pela mata", lembra. Ninguém respondeu aos gritos da família, Buze correu em busca de socorro e Bachu que tinha 15 anos na época ficou cuidando do pai, que tentava acalmá-los, mesmo estando ferido. Antes de morrer, ele disse à filha: "Seja forte e cuide de seus irmãos".

Na primeira visita da equipe, dias após o ocorrido, a família estava muito abalada. Depois do acompanhamento, os colaboradores perceberam melhoras. Wasihun precisou de mais atenção, pois ele via o pai como seu herói, de quem se lembra com muito amor e saudade. Apesar de tudo, a família foi confortada por Deus e recebeu amparo. A pressão da comunidade continua por eles serem cristãos. "Quando Kemede morreu, quase desistimos de tudo, mas o Senhor acrescentou o que precisávamos e nos ajudou a viver através da tempestade com abundância e conforto. Temos agora roupas e sapatos, e uma vida financeira mais estável, tudo Deus providenciou para nós", conclui Buze.

Junte-se a nós pela África
Essa é uma das muitas histórias vindas da África Subassariana, onde o cristianismo é rejeitado e os cristãos são constantemente perseguidos. Se você quer se envolver mais com nossos irmãos africanos, conheça o DIP 2017. O tema deste ano é Juntos pela África. Ore pela Igreja Perseguida.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||