Especial Dia do Livro: O “povo do Livro” tem muito que comemorar

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

21 de abril de 2016.

 

A Bíblia está presente nos lares de pelo menos 3,9 bilhões de pessoas que possuem um de seus exemplares na língua nativa

No dia 23 de abril é comemorado o Dia Internacional do Livro e também o dia dos Direitos do Autor. Esse evento foi organizado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) com a finalidade de promover o prazer da leitura. A data foi escolhida em homenagem aos autores Miguel de Cervantes, William Shakespeare e Garcilaso de La Vega, já que ambos morreram no dia 23 de abril de 1616. Além disso, há vários escritores que nasceram ou morreram nessa data. Anualmente, desde então, há uma série de eventos celebrativos que ocorre ao redor mundo.

A Portas Abertas, no entanto, tem motivo de sobra para celebrar esse dia, já que trabalha diariamente com o "povo do Livro", título dado aos seguidores das Escrituras Sagradas no contexto muçulmano. Sabe-se que a Bíblia é o livro mais vendido do mundo e, segundo a Sociedade Bíblica do Brasil, nos últimos 50 anos ela conquistou pelo menos 3,9 bilhões de pessoas que possuem um de seus exemplares na língua nativa. Infelizmente, os que mais a valorizam e buscam na leitura o entendimento sobre os valores de Deus, contidos nela, são aqueles que são proibidos de seguir o cristianismo

Há livros que contam muitas histórias sobre a difícil tarefa da distribuição da Bíblia em países que perseguem cristãos. Um deles é "O Contrabandista de Deus", escrito pelo holandês conhecido como irmão André, o fundador da Portas Abertas. O livro aborda a difícil missão de levar Bíblias para os cristãos da Igreja Perseguida pelo regime comunista, na Rússia e nos países da Europa, na década de 50. Outro livro que é no mínimo interessante é o "Infiltrado por Deus" escrito por Dick Langeveld e Ben Hobrink, que levaram Bíblias secretamente para trás da "cortina de ferro", expressão que era usada para designar os países da antiga União Soviética, o livro relata experiências incríveis vividas por eles ao fazer travessias milagrosas e realizando viagens perigosas em países totalmente fechados ao evangelho. Até os dias atuais, em muitos países, a Bíblia ainda é proibida e milhões de cristãos arriscam suas vidas para ler pelo menos alguns trechos dela. E você? Desfrute da sua liberdade, muitos dariam tudo para tê-la.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||