Especial Dia do Livro: A Batalha dos Livros

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

24 de abril de 2016.

 

Bíblia e Alcorão, as pequenas semelhanças e grandes diferenças que os tornam tão distintos

A Bíblia, livro mais conhecido do mundo, guia a vida do cristão, assim como para os muçulmanos, que possuem o Alcorão como o seu livro sagrado. No hinduísmo também não é diferente, Vedas os instrui. A essência da tradição do livro é o respeito aos ancestrais e a vinculação aos deuses. Todas as correntes do hinduísmo estão voltadas para isso. Já no budismo, não existe um livro sagrado, mas ícones. Entretanto, de todas as religiões o cristianismo e o islamismo se destacam pelo significado que as Escrituras possuem na vida de seus seguidores.

As duas religiões são conhecidas como o "povo do Livro", ambos ensinam preceitos que consideram eternos e buscam despertar as pessoas para uma realidade espiritual. Há, porém, uma grande diferença entre eles, para os cristãos Jesus é o Salvador e para os muçulmanos um profeta. A Bíblia e o Alcorão são livros completamente distintos, se não fosse assim, não haveria sido criado o termo "batalha dos Livros" e os leitores de ambos estariam unidos pelo mesmo propósito, mas não é essa a realidade.

A história do cristianismo nos conta sobre a origem da humanidade, seu propósito, desde o passado até o futuro. É o único livro capaz de relatar como será o final da história e o único a ensinar como lidar com os conflitos humanos. De acordo com o Relatório Mundial de Tradução de Escrituras de 2013, pelo menos 2.551 línguas já contam com ao menos um trecho da Bíblia traduzido, cobrindo 95% da população mundial.

Outro aspecto importantíssimo a ser considerado é a forma como os conceitos são apresentados ao mundo. Enquanto a Bíblia declara que não é "por força nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos". (Zacarias 4.6b), de forma que o evangelho só pode ser pregado com amor e à luz de Cristo, temos o contraste de uma religião que aplica a sharia (lei muçulmana), que obriga as pessoas a seguirem seus passos. Muitos de nossos irmãos que vivem em países islâmicos ou que são alvos de islamização enfrentam muita dificuldade de seguir e defender a Bíblia. Nessa "batalha dos Livros", não deixe de orar para que o poder transformador da Palavra esteja com cada cristão perseguido.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||