Eleições no México acontecem em meio a tensões

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

02 de julho de 2015.

 

O crescimento do crime organizado e o registro de incidentes mais violentos contra os cristãos colocaram o país em 38º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa 2015

No dia sete de junho, o México organizou eleições intercalares em todos os órgãos legislativos a nível do conselho federal, estadual e local, bem como as eleições dos governadores de alguns estados. Elas aconteceram em um contexto de violência e tensão. No dia três de junho, um candidato político foi morto em Michoacán; terceiro a morrer nacionalmente. Dias antes, dois candidatos a prefeito foram mortos na mesma cidade e em Guerrero. Lá, um grupo armado também invadiu escritórios eleitorais na cidade de Tlapa e queimou mais de 116 mil cédulas de votos.

Dennis, analista de perseguição da Portas Abertas, comentou: “Assassinar candidatos políticos e queimar cédulas de votos não é algo raro no México, principalmente nas áreas afetadas pelo crime organizado. Muitas vezes, é uma forma dos cartéis de drogas protegerem seus interesses, eliminando candidatos desfavoráveis ou intimidando a população. A violência pré-eleitoral também é um lembrete claro ao presidente do México, Peña Nieto, que sua estratégia para reduzir o número de homicídios, mudando o foco de lutar contra os traficantes de drogas para a apreensão de narcóticos, não está funcionando. Para cristãos praticantes, isso significa que continuarão vulneráveis a ameaças de cartéis de drogas em estados como Michoacán ou Tamaulipas, onde os cartéis têm efetivamente influência sobre o poder político.”

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||