Egípcios vão às ruas protestar contra a violência

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

14 de maio de 2016.

 

E os cristãos? Como ficam nessa situação? A brutalidade dos policiais é ainda mais intensa quando se trata de cristianismo

De acordo com informações da BBC News, recentemente, centenas de egípcios foram às ruas do Cairo protestar contra a suposta morte de um vendedor de chá, pela polícia egípcia, que teve um desentendimento com ele sobre o valor dos produtos. O povo também protesta e faz um clamor público contra o governo que, nos últimos dias, fez um acordo com a Arábia Saudita. O presidente Abdel Fattah al-Sisi e o rei Salman deram um "passo histórico" e juntos decidiram construir uma ponte sobre o Mar Vermelho, ligando os dois países e conectando também os continentes África e Ásia. Ambos estão visando a transformação quantitativa comercial.

A agência de notícias Reuters também relatou que o Egito vai entregar ao rei saudita mais de duas ilhas. O acordo foi repreendido amplamente pelos egípcios que agora solicitam a demissão do presidente. Informações da US News também apontaram que os EUA estão cogitando a ideia de fornecer ao Egito um socorro militar, além de ajuda financeira para reforçar a luta do país contra o Estado Islâmico. "O que vemos é um cenário totalmente conturbado. O povo protesta contra o governo ao mesmo tempo em que os policiais estão abusando de sua autoridade nas ruas, violando os direitos dos cidadãos. E os cristãos? Como ficam nessa situação? A brutalidade dos policiais é ainda mais intensa quando se trata do cristianismo", comenta um dos analistas de perseguição.

A percepção pública está bem sensível quanto aos últimos acontecimentos e a popularidade do presidente está em declínio. "A longo prazo, os erros dos líderes podem criar uma abertura para os extremistas e os grupos religiosos militantes. Seja lá o que for que aconteça, para os cristãos egípcios é sempre um pouco pior, já que eles são vistos como traidores. O Egito (atualmente o 22º país da Classificação da Perseguição Religiosa) é o coração do mundo árabe e islâmico, e agora também é o coração da igreja no Oriente Médio e tem a responsabilidade de apresentar Jesus ao mundo árabe. No entanto, os cristãos estão vivendo sob constante pressão enfrentando grandes desafios para integrar ex-muçulmanos. Em suas orações, interceda por eles.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||