Dor e inocência.

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

24 de julho de 2015.

 

Tratamento dado às crianças cristãs sequestradas nos países aonde há perseguição religiosa é triste. Essa dura realidade é vivida por muitos pequenos ao redor do mundo

Nos países aonde há intolerância religiosa, muitas famílias veem suas crianças sendo sequestradas pelos grupos extremistas. Essa semana (20), pedimos oração pelo caso da pequena Christine que acaba de completar quatro anos de idade. Há onze meses ela foi sequestrada pelo Estado Islâmico e ainda nada se sabe sobre sua situação atual. Entenda melhor o caso.

Recentemente, a agência de notícias Associated Press divulgou um vídeo revelando como crianças iraquianas sequestradas pelo Estado Islâmico (EI) são tratadas. Eles explicam que muitos homens foram mortos e muitas mulheres transformadas em escravas sexuais, mas os meninos tiveram um destino diferente. Eles foram levados para uma conversão forçada ao islã com o objetivo de torná-los soldados da jihad (guerra santa). Alguns deles possuem apenas oito anos.

O “centro de treinamento” chamado de Instituto Farouq é na cidade síria Raqqa – considerada a capital do EI. Lá, eles passam por treinamento e aprendem a fazer decapitações. Diariamente, fazem exercícios físicos, estudam o Alcorão e aprendem a manusear armas, além de praticar violência. “Eles nos faziam bater uns nos outros, porque isso nos faria mais duros e não sentiríamos dor da próxima vez”, diz um dos meninos que passou cinco meses preso, mas fugiu com outros em uma noite quando enquanto os soldados dormiam.

Todas as crianças assistem à vídeos de decapitações e seus instrutores do EI os alertavam que um dia teriam que realizar tarefa semelhante. Cada um dos mais de 120 meninos receberam um espada e uma boneca, e em seguida a ordem de cortar a cabeça das bonecas. "Depois eles me ensinaram como segurar a espada, e me explicaram como golpear. Disseram que era a cabeça de um infiel", disse o menino, chamado de Yahya por seus captores.

Ainda esse ano, divulgamos a história  de aproximadamente 80 crianças e adolescentes nigerianas que foram resgatadas de um acampamento do grupo extremista Boko Haram que não conseguiam lembrar de seus próprios nomes ou de suas origens. Os jovens – de 5 a 18 anos de idade – foram encontrados em novembro, em um acampamento em Camarões.

As crianças foram resgatadas depois que forças de segurança tentaram desbaratar o que acreditava-se ser uma escola corânica. O correspondente da BBC visitou um orfanato onde as crianças estavam sendo cuidadas. Ele afirmou que elas passaram tanto tempo com seus captores, sendo doutrinadas na ideologia jihadista, que perderam noção de sua própria identidade. "Elas perderam contato com seus pais e com as pessoas de suas aldeias. Não conseguiam mais articular, ajudar a identificar seus laços. Sequer conseguem dizer seus nomes."

Essa triste realidade é reflexo de como a intolerância religiosa tem crescido em países aonde existe esse tipo de perseguição. Nos casos relatados, o Iraque e a Nigéria se encontram na 3ª e 10ª posições na Classificação da Perseguição Religiosa 2015 , respectivamente. Junte-se a nós em oração pelas crianças nestes locais.

Motivos de oração
• Peça ao Senhor que entre no coração de cada criança e não permita que eles venham esquecer quem realmente são e no que creem. Que elas possam ter em encontro com Jesus, assim como suas famílias.
• Interceda pelos familiares dessas crianças. Que o consolo e a esperança possam estar presentes em seus corações.
• Ore pelo perseguidor. Que as crianças possam ser usadas por Deus para apresentar Jesus à eles. Com estratégia e sabedoria quem vem do céu.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||