Dois terços da população etíope são de cristãos

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

14 de setembro de 2015.

 

A Etiópia ocupa o 22º lugar da lista dos países mais perseguidos do mundo. Um analista da Portas Abertas comentou que a vida é realmente muito difícil para os cristãos que vivem lá. "Dois terços da população é cristã e o governo não vê isso com bons olhos. O país foi uma das primeiras nações cristãs do mundo, a partir do quarto século, de acordo com um manual de missões global, conhecido como Operação Mundo".

Ele relata que a Igreja Ortodoxa Etíope pertenceu ao Estado entre o período de 1.270 a 1.974, até a revolução marxista derrubar o imperador Haile Selassie. "O regime marxista perseguia os cristãos, especialmente os evangélicos, e destruía muitas igrejas e congregações que estavam espalhadas em diversas regiões", explica o analista.

Segundo ele, desde 1991, quando o regime marxista entrou em colapso, praticamente aboliu a liberdade de culto e de testemunho. "Relatos da Operação Mundo, diz que cada vez mais os grupos islâmicos ativos e ambiciosos passaram a ameaçar o frágil equilíbrio de poderes religiosos".

No dia 19 de abril desse ano, o Estado Islâmico divulgou um vídeo que supostamente mostra a execução de 28 cristãos etíopes na Líbia. Dois deles, Eyasu Yikunoamlak e Balcha Belete, foram mais tarde identificados por suas famílias, que disseram ter deixado o país alguns meses antes do ocorrido e estavam tentando migrar para a Europa. O analista comenta que a situação está ficando cada vez mais apertada e assustadora para os cristãos da Etiópia.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||