Deus fala na prisão.

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

07 de maio de 2015.

 

Quando as provações vêm sobre a vida dos cristãos, pode ficar quase impossível ouvir a voz de Deus. Mas ele continua a falar em Mateus 28.20b: "... e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos"

Um cristão secreto conta à Portas Abertas: "Quando recebo telefonemas do departamento de polícia, sofro imaginando o que Deus quer me dizer nesses momentos. Perigo e ameaças são paralisantes". Amir* e Vahid*, cristãos na Ásia Central, foram parados por líderes muçulmanos e, em seguida, levados para a delegacia de polícia depois de participar de um evento comunitário de rua organizado em colaboração com um colaborador local da Portas Abertas.

Depois de 24 horas de detenção, sem comida e bebida, ambos foram escoltados para o tribunal. O caso contra eles havia sido forjado. "Fomos acusados de perturbar a paz pública. Disseram que tínhamos bebido e estávamos fazendo muito barulho. Eles nos acusaram de incomodar os cidadãos locais", compartilhou Amir a um colaborador da Portas Abertas. Amir e Vahid foram condenados à prisão, mas o juiz nem sequer os informou quanto tempo ficariam detidos. Quando entraram na cela, um dos guardas lhes disse que não sairiam vivos dali. A incerteza e o medo eram opressores. "A falta de informação é uma tortura", Vahid compartilha. "Foi terrível ficar em um lugar como aquele, sem nenhuma pista sobre o tempo que passaríamos lá. Estava extremamente quente naquela pequena cela de prisão. E os rostos furiosos dos companheiros de prisão não pareciam um bom sinal."


Amir e Vahid passaram os primeiros dois dias em constante oração. Na segunda tarde, eles receberam sua primeira visita. Asiyah*, esposa de Vahid, lhes disse que estava orando por eles toda a noite. Na manhã seguinte, Deus mostrou a ela uma passagem da Bíblia. Foi Apocalipse 2.10, que diz: "Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. Saibam que o diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida".

"No início, não acreditamos que esta passagem tinha a ver conosco", disse Amir. "Mas quanto mais pensávamos nisso, mais percebíamos que Deus estava falando através de Asiyah sobre o nosso prazo na prisão. Depois que acreditamos que essa revelação se dirigia a nós, começamos a falar corajosamente aos outros presos sobre Jesus. Sabíamos que em dez dias seríamos retirados daquele lugar, mas o restante dos prisioneiros ainda precisava ouvir o Evangelho." 


Amir e Vahid passaram dez dias na prisão. Durante as refeições ou passeios no pátio, os evangelistas conversavam com os prisioneiros. No tempo que ficaram na prisão, compartilharam o Evangelho com 14 prisioneiros, dos quais quatro oraram para aceitar a Cristo. E depois de dez dias, foram libertados.

Embora as circunstâncias tenham inicialmente mergulhado Amir e Vahid em um estado de medo, eles ainda conseguiam reconhecer a voz de Deus. Deus estava falando com eles e deu-lhes a sua promessa. "Através desta experiência Deus nos mostrou que é um Deus fiel e nunca vai deixar ou abandonar seus filhos", disse Amir.

Em parceria com uma organização cristã local, Amir e Vahid continuam participando de projetos de distribuição de literatura cristã na Ásia Central, compartilhando com as pessoas o seu testemunho.

*Nomes alterados por questões de segurança.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||