Cristãos se reúnem em pequenos grupos para adorar a Deus

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

13 de outubro de 2015.

 

Pressionada pela mãe, uma jovem africana recém-convertida ao cristianismo, teve que tomar uma séria decisão em sua vida: voltar para o islã e honrar sua família ou seguir o cristianismo e, por causa disso, nunca mais ver seus familiares. "Foi como se Deus mostrasse para mim o que ele mostrou para Abraão e eu tive que escolher entre o deserto e o oásis. Então eu disse decidida para minha mãe que preferia morrer ali, naquela hora, do que voltar para casa com ela".

A jovem era recém-casada com um cristão e quando a família dele, que era muçulmana, viu a situação do casal, decidiu acolhê-los, com a condição de que eles não evangelizassem a família. "Mas eu sentia necessidade de evangelizar alguém, então um dia, uma senhora sentou ao meu lado e eu perguntei se podia orar por ela, mas ela queria saber se eu era uma bruxa ou feiticeira. Eu ri, disse que não era, e fiz a oração. Em pouco tempo nos tornamos amigas e hoje ela segue a Jesus também", conta.

Embora haja perseguição religiosa no país, e até as crianças sejam questionadas nas escolas sobre serem ou não cristãs, existem programas de TV que atendem aos cristãos da África, todos os sábados. "Nas ruas não é tão fácil ser cristão, pois quando as autoridades nos apanham lendo uma bíblia, eles nos prendem imediatamente. Se houver suspeitas de que alguém tem livros cristãos em casa, os policiais chegam para quebrar tudo".

A jovem conta que sente muita vontade de se reunir com outros cristãos e de ter um líder para ministrar a palavra, mas isso não é possível por causa da pressão que há no país. "Nós nos reunimos em grupos bem pequenos, três no máximo, e assim não levantamos suspeitas. Compartilhamos o que Deus tem feito em nossas vidas, lemos algumas passagens da Bíblia e também pedimos perdão pelos nossos pecados. Nós queremos que o mundo muçulmano veja como o nosso Deus é forte e como opera milagres. Se Deus fez isso por mim, pode fazer por eles também", conclui a jovem.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||