Cristãos russos continuam sendo perseguidos

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

18 de dezembro de 2018.

Na Rússia, cristãos são perseguidos desde a época da União Soviética. O que aconteceu à família Popov, uma das milhares de famílias de cristãos russos, foi comum na igreja secreta durante o tempo soviético. Essa história é contada por um dos filhos de Nicolai e Nadezhda Popov.

Minha mãe, Nadezhda, que significa esperança, atualmente tem 79 anos e eu admiro muito ela. Meus pais tiveram muitas dificuldades. Durante o período da União Soviética, meu pai passou 10 anos na prisão e minha mãe criou nove filhos basicamente sozinha, enquanto o marido estava na prisão ou em campos de trabalho.

Enquanto meu pai esteve na prisão, ela carregou um fardo duplo: cuidar das crianças e do meu pai. Ela também participou do “Conselho de Parentes de Prisioneiros” dos Cristãos Evangélicos e Batistas (ECB, da sigla em inglês). O conselho teve início em 1964 e cuidava dos interesses dos prisioneiros da ECB. Eles publicavam regularmente listas com os nomes dos prisioneiros e também cuidavam de seus parentes. Irmãs, esposas e filhas de cristãos presos se reuniam, passavam informações sobre prisioneiros, forneciam ajuda física e espiritual para eles e suas famílias, e conseguiam pacotes de comida.

De 1961 até 1988, houveram centenas de prisioneiros e alguns mártires. Entretanto, haviam milhares de pessoas desconhecidas, como minha mãe, que permaneceram firmes fielmente durante os tempos de perseguição. Livros não foram escritos sobre eles, mas foram e ainda são pilares da Igreja Perseguida. Para manter meu pai informado sobre o que acontecia na igreja e no mundo, ela fez um acordo que escreveria bilhetes em pequenos pedaços de papel e costuraria nas mangas e colarinhos de suas camisas. Tudo que chegava na prisão era vistoriado e censurado, mas essa era uma das formas de passar informação para ele durante o tempo antes do julgamento. Quando alguém era condenado, tinha que ir para um campo de trabalho e vestir as roupas da prisão, a partir de então essa forma de comunicação não era mais possível.

Meu pai esteve em detenção pré-julgamento por três vezes, todas duraram cerca de seis meses. Durante aqueles meses, minha mãe conseguia mantê-lo informado sobre a família, igreja e a situação de fora. Isso era vital para meu pai, que se sentia isolado enquanto afastado da família e igreja.

Com frequência imaginei o que a mantinha e recentemente ela me disse: “Fé e confiança no Senhor me sustentaram durante esses 10 anos de prisão do meu marido por conta da fé. Deus esteve muito perto de mim durante esse período. Eu estou muito bem espiritualmente. Durante toda minha vida cristã, não senti tanta proximidade de Deus como durante esses anos”. As igrejas perseguidas e cristãos do ocidente ajudaram essa família com orações e material de ajuda. Dessa forma se lembravam de que não estavam sozinhos, mas que faziam parte de uma grande família, o corpo de Cristo.

Pedidos de oração

  • Ore pelos cristãos russos que continuam enfrentando perseguição por sua fé em Cristo.
  • Apresente pastores, líderes e suas famílias, que eles possam se fortalecer na palavra de Deus.
  • Peça a Deus pelos governantes do país, para que os cristãos possam viver sua fé livremente.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||