Cristãos no Níger ainda tentam se recuperar de ataques a igreja

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

28 de abril de 2015.

Grande parte dos meios de comunicação ocidentais ignora a dura hostilidade dirigida contra os cristãos na África, em geral. Depois dos ataques de 16 de janeiro por parte de membros do islamismo radical, que saquearam e queimaram cerca de 70 igrejas e dezenas de outras casas e empresas cristãs no Níger, a comunidade cristã ainda tenta se reerguer

Em paralelo ao Al-Shabaab, o Estado Islâmico e o Boko Haram, que são vistos frequentemente nas manchetes por perseguirem os seguidores de Jesus na África, os cristãos ainda estão sofrendo no Níger. Após o ataque islamita na revista satírica francesa Charlie Hebdo, em janeiro, os muçulmanos queimaram dezenas de igrejas no Níger, deixando inúmeros cristãos desabrigados e sem um prédio para adorar ao Senhor aos domingos.

A publicação francesa satírica Charlie Hebdo publicou uma charge do profeta muçulmano Maomé; em retaliação, seu escritório em Paris foi posteriormente atacado, em 7 de janeiro, por dois pistoleiros muçulmanos, matando 12 pessoas.

Como resposta ao ataque, a Charlie Hebdo publicou uma charge provocativa do profeta Maomé que desencadeou ataques contra os cristãos e suas igrejas no Níger em 17 de janeiro.

Multidões de muçulmanos enfurecidos queimaram e destruíram um total de 69 igrejas, bem como inúmeros lares cristãos, e matou 10 pessoas na violência que atingiu a capital do país, Niamey.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||