Cristãos lutam para sobreviver em Alepo

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

29 de dezembro de 2015.

 

A guerra civil da Síria mudou radicalmente a vida de dezenas de milhares de cristãos que viviam em Alepo. A maioria fugiu, mas alguns permaneceram. Um dos analistas da Portas Abertas encontrou-se com alguns deles e teve a oportunidade de ouvir sobre os detalhes.

"Eles relataram sobre as bombas que explodem constantemente, há cortes de água e ficam sem eletricidade durante vários dias. Muitos já perderam suas famílias e amigos durante os conflitos. A morte está sempre muito próxima deles. As únicas estatísticas confiáveis são as anteriores à guerra, quando havia cerca de 250 mil cristãos na cidade. Hoje em dia, estima-se que haja entre 30 e 40 mil apenas", conta o analista.

A Portas Abertas trabalha com várias igrejas de diferentes denominações em Alepo, apoiando centenas de famílias, através da entrega de alimentos, medicamentos e materiais de primeiros socorros. "Nós estamos aqui para dar reforço aos que restaram, porque a igreja não deve desaparecer desse país. Não há motivos para ficar aqui, a não ser pelo resgate de vidas. Que Deus nos ajude, porque nós não vamos desistir", conclui o analista.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||