Cristãos ex-budistas não têm liberdade de culto

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

07 de janeiro de 2018.

 

Hoje vamos continuar a história da igreja do irmão Louis, uma igreja formada por cristãos de um grupo étnico minoritário da China. Durante a ausência do irmão Louis, a igreja só se reunia em pequenos grupos. Eles tomavam todo o cuidado para não chamar a atenção dos vizinhos e nem compartilhar de Jesus com eles por medo de ser denunciados. O número de pessoas nas reuniões baixou para 25. Mesmo sem liberdade, eles não abriam mão de se reunir para adorar a Deus. Louis planejou como apoiar e equipar o irmão Tom (que havia assumido a liderança da igreja) para o ministério.

Ele reuniu recursos e começou um treinamento de discipulado para Tom e outros irmãos. Tom participou dessas aulas por alguns anos e até hoje continua aprendendo. A Portas Abertas concedeu ao irmão Louis material de treinamento sobre como enfrentar a perseguição. Através dessa parceria, no ano que vem poderemos levar professores de outros países para dar treinamento de discipulado para minorias. “Eu não estou mais sozinho e estou confiante de que haverá crescimento apesar da perseguição”, afirma Louis.

Contamos com suas orações por esse grupo em especial. Eles enfrentam o desafio de lidar com questões de segurança e ao mesmo tempo de liderança, perdão e reconciliação. Ore para que eles respondam à obra do Espírito Santo e possam dar e receber perdão, e assim crescer em maturidade. Clame para que eles venham a experimentar o fruto da perseverança e o avivamento que nasce da perseguição. 

Dos 97,2 milhões de cristãos na China, apenas algumas centenas são ex-budistas de grupos étnicos minoritários. Vivendo no oeste do país, eles são um dos grupos mais perseguidos, não apenas devido a restrições religiosas, mas porque enfrentam perseguição dentro da própria família e comunidade. A história de hoje retrata tantos cristãos na China e no mundo que não desfrutam da liberdade de adorar a Deus livremente. Que hoje, no Dia da Liberdade de Culto, você aproveite sua liberdade para orar e divulgar a causa da Igreja Perseguida. Eles têm a mesma fé, fazem parte do mesmo corpo, mas não desfrutam da mesma liberdade que nós.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||