Cristão queniano é morto na rua da igreja

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

27 de janeiro de 2015.

 

Em 11 de janeiro, o jovem queniano de 25 anos, George Karidhimba Muriki foi morto à queima roupa, em Mombaça, no Quênia, no local onde membros da igreja se reúnem para adorar. Não se tem certeza do que aconteceu nos momentos que antecederam o último suspiro de George, mas, de acordo com informações recebidas, parece que a morte dele evitou que muitos outros tivessem o mesmo destino.

Fontes que estavam no local disseram à Portas Abertas que George saiu da igreja e foi para um lugar ao lado para deixar as doações recebidas. Nesse momento, ele se deparou com dois homens que estavam se aproximando com a clara intenção de atacar a congregação. Eles entraram pelo portão lateral uma vez que a polícia estava vigiando o principal.

De acordo com os relatos, eles possivelmente entraram em pânico e mataram George. Os membros da congregação ouviram os tiros e, ao saírem do templo, encontraram o corpo sem vida do jovem. Testemunhas disseram que viram dois homens fugindo em uma moto. Um tempo depois, os cristãos perceberam que o alvo não era George, mas sim eles. Muitas vidas teriam sido tiradas se o jovem não tivesse saído do templo e se não tivesse encontrado os assassinos.

Os motivos do ataque ainda são desconhecidos, embora os membros da igreja já tivessem percebido que as coisas não são mais as mesmas. George afirmava que estava sendo seguido e duas semanas antes de sua morte, o pastor da igreja, Martin Ng´olwa, recebeu um telefonema de uma pessoa anônima querendo marcar um encontro com ele.

Isso era algo inusitado, uma vez que o pastor conhecia muita gente. O anônimo pediu a Martin para telefonar de volta assim que chegasse ao local marcado, mas quando o pastor fez isso, o número chamado não existia mais. Fontes locais afirmam que isso claramente indica que a pessoa queria identificá-lo pessoalmente, porém, sem ser visto.  

Cristãos que vivem na área muçulmana de Majengo diariamente enfrentam perseguição e ameaças. Uma pequena congregação decidiu deixar o local porque não se sentia segura e ficava perto da Igreja Exército da Salvação, que foi incendiada duas vezes por muçulmanos extremistas.

George nasceu em Meru, no sul do Quênia. Ele se dividia entre os estudos da universidade, coordenava seu pequeno negócio e também era secretário da igreja. Solteiro, era um grande auxiliador de Martin, seu amigo e pastor.

George será enterrado nesta terça ou quarta-feira, em Meru. Martin está cuidando de todo o funeral. Ore para que a graça de Deus esteja sobre o pastor. Ore também pela pequena congregação.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||