Cristão indiano se apega à fé mesmo sendo excluído por sua vila

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

17 de março de 2019.

Imagine ser considerado tão pequeno e sem valor, que você não está apenas no fim da fila, nem mesmo está nela. Essa é a situação enfrentada por membros de “tribos registradas” na Índia. Eles nem fazem parte do pior do sistema de castas da Índia, a tradicional hierarquia que organiza a sociedade indiana por séculos. Eles não são considerados parte do sistema de castas, mas sim excluídos completamente. São tratados como sub-humanos e por gerações têm sobrevivido trabalhando em fazendas de subsistência ou como operários para membros de castas mais altas.

Nos últimos anos, passos foram dados para tentar melhorar a vida desses grupos indígenas, mas ainda hoje, eles costumam morar nas partes mais subdesenvolvidas da Índia e lutam para ter acesso à educação e empregos. Porém, quando um membro de uma dessas tribos encontra a Jesus, ele descobre o Deus que o ama e pode curá-lo. Rupesh (pseudônimo), de 30 anos, é um cristão de uma dessas tribos. Ele mora em uma vila muito remota e trabalha como agricultor. Embora sua renda e educação sejam limitadas, sua fé no Senhor é muito forte. Ele nos conta repetidamente: “Eu tenho visto a bondade do Senhor”.

Rupesh tem enfrentado muita perseguição por causa da fé em Jesus. Como membro de um grupo indígena, ele já era um excluído da sociedade. Mas quando decidiu se tornar cristão, deixando a fé tradicional da tribo, se tornou um excluído entre os excluídos. Entretanto, está determinado a permanecer e brilhar como uma luz em sua comunidade: “Apenas assim o nome de Deus será conhecido em minha vila”.

Filho de Rupesh é curado
Rupesh conheceu ao Senhor quando tinha 24 anos. Seu filho mais novo tinha cerca de um ano na época e sofria de uma doença que os médicos diziam não ter cura. Enquanto os membros da tribo são tradicionalmente animistas, Rupesh e sua esposa visitaram vários templos e santuários na desesperada busca por um milagre. Mas todos os seus esforços não deram em nada. Rupesh e a esposa se desencorajaram e perderam a esperança.

Um dos parentes dele lhe falou sobre Jesus e orou por seu filho. Milagrosamente, o menino começou a se sentir melhor. Rapidamente, crescia como uma criança normal, como se nunca tivesse ficado doente. Rupesh não podia parar de agradecer ao Senhor por esse grande presente. Então, sua família começou a participar de uma pequena igreja doméstica próxima à vila. Entretanto, seus vizinhos começaram a perceber que Rupesh sempre falava sobre a cura do filho, proclamando a bondade do Senhor. Ele foi chamado e intimado a parar de ir à igreja e falar sobre Jesus. Ele não entendeu o porquê das ameaças. Ele só sabia que Jesus era real e que não podia deixá-lo.

Nos seis anos seguintes a perseguição aumentou. A família de Rupesh foi boicotada, sob as ordens do conselho da vila. A lei local foi criada para proteger as “tribos registradas” e sua forma tradicional de vida, bem como oferecer apoio adicional. Por isso, o conselho tem poder para resolver pequenas disputas, decidir quem tem acesso a provisões subsidiadas e quem pode usar os recursos locais. Mas, como Rupesh descobriu, o poder do conselho pode ser abusivo se você faz alguma coisa que a maioria da sua tribo desaprova, como deixar a fé tradicional.

Rupesh e sua família suportaram muitas dificuldades, mas ainda assim, perseveram. Lentamente, outras famílias da vila conheceram ao Senhor e sua comunidade cresceu em números.

Campanha Global Índia
Quando cristãos na Índia sofrem perseguição, geralmente, enfrentam vários tipos de necessidade. Por isso, enviamos equipes de resposta rápida que oferecem alimentos, itens de necessidade básica, ajuda na renda e assistência jurídica. Com uma doação você patrocina uma equipe de resposta rápida, por cerca de um mês, para famílias como a de Rupesh.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||