Cristã indiana passa por momentos difíceis

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

02 de agosto de 2016.

India_2016_0360100196.jpg

"Ele veio para me matar e eu não tinha nada para me defender, eu só podia orar; quando comecei a clamar a Deus, ele foi embora, mas a aldeia inteira se voltou contra mim"

Recentemente, a história de uma viúva cristã indiana, de apenas 25 anos de idade, foi compartilhada através da matéria Ainda que a figueira não floresça. Ela se casou muito jovem, como é de costume na Índia, e em pouco tempo perdeu o marido e um filho de 5 anos de idade. Seu nome é Kusum* e sua conversão ao cristianismo aconteceu ainda na adolescência. Com 15 anos de idade ela se casou, mas o marido a proibiu de frequentar a igreja. Juntos, tiveram dois filhos, com um intervalo de quatro anos entre um e outro. Quando o segundo filho nasceu, seu marido teve uma doença incurável e morreu logo em seguida.

Por ser cristã, Kusum foi responsabilizada pela morte do esposo. Quando seu filho completou 5 anos de idade, também morreu de uma doença grave. Na ocasião, o sogro de Kusum foi até sua casa com um machado. "Ele veio para me matar e eu não tinha nada para me defender, eu só podia orar. Quando comecei a clamar a Deus, ele foi embora, mas a aldeia inteira se voltou contra mim, e eu tive que enterrar meu filho sozinha", lembra. Através da Portas Abertas, Kusum teve a oportunidade de conhecer outras mulheres com situações semelhantes, a maioria viúvas e mães que perderam seus filhos. Então, ela recebeu amparo e carinho através das orações das irmãs na fé.

A perseguição religiosa realmente existe na Índia. Aos indianos não é permitido a realização de cultos nos lares, então Kusum e muitos outros cristãos caminham cerca de 5 a 6 km para participarem dos cultos em uma igreja. Não há privilégios para Kusum em sua aldeia, a não ser retirar água do poço. Atualmente, ela e seu filho de 10 anos de idade, vivem em sua própria casa e seus pais e irmãos revezam para ficar com eles. Seus pais, que também são cristãos, trabalham a 30 km da aldeia, porque ninguém quer contratá-los. Eles vão trabalhar, todos os dias, de bicicleta. Kusum tem enfrentado alguns problemas de saúde e, fisicamente, se encontra muito fraca para trabalhar fora da aldeia. Mesmo assim, ela não reclama de sua situação e persevera sempre na fé.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Pedidos de oração

  • Interceda pela saúde de Kusum e ore para que em breve ela esteja forte novamente para assumir um trabalho.
  • Ore também pelo seu filho e toda sua família, para que sejam perseverantes na fé em Cristo, apesar da perseguição.
  • Peça ao Senhor pela igreja na Índia e para que muitos outros indianos tenham seus corações invadidos pelo amor e poder do Espírito Santo.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||