Coreia do Norte: Cristãos não aparecem em relatórios

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

08 de outubro de 2015.

 

Há alguns meses, a ONU realizou um debate sobre direitos humanos na Coreia do Norte, com o tema "Vozes das Vítimas", com a presença do secretário geral assistente, Ivan Simonovic, a embaixadora dos Estados Unidos, Samantha Power e várias pessoas que sofreram algum tipo de abuso do governo norte-coreano.

Recentemente, outro tema foi levantado para discutir os problemas dos trabalhadores nos campos. Muitos temas são abordados e, todos eles seguem para uma mesma conclusão: "é um país caracterizado pela negação dos direitos à liberdade de pensamento, consciência e religião, assim como direitos à liberdade de opinião, expressão, informação e associação", disse um investigador.

Segundo relatórios da Portas Abertas: "É extremamente difícil descobrir o que realmente acontece nos campos de trabalho do país e tudo o que as pessoas passam por lá, por se tratar se uma nação totalmente fechada para o mundo. Os relatórios ajudam muito, mas é impossível não perceber que todo tipo de problema é abordado, menos a questão dos cristãos, porque eles nunca aparecem nestes relatórios".

A Coreia do Norte é líder, há 13 anos consecutivos, dos países onde os cristãos enfrentam maior perseguição religiosa no mundo. Recentemente, a Portas Abertas Brasil recebeu a cristã norte-coreana Hea-Woo, confira parte do testemunho dela.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||