Conheça a História da jovem cristã perseguida na Índia

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

17 de maio de 2018.

 

Reena* é uma jovem cristã indiana de 20 anos. Desde cedo, quando seus pais se converteram do hinduísmo ao cristianismo, ela conheceu a perseguição de perto. “Meus pais sempre me explicaram que a perseguição acontece quando você é cristão. E eu não tinha inveja dos hindus, porque Jesus me dava alegria interior”, afirma. Ela é uma moça tímida, de poucas palavras. Ela nos conta que quando criança os colegas de escola a tratavam de modo diferente por não participar dos rituais hindus. “Ninguém queria brincar comigo, porque eles eram hindus e eu não. Depois da escola, simplesmente ficava em casa e brincava sozinha”, compartilha.

Na adolescência, ela foi estudar em outra cidade, então morava num albergue. Mas quando não tinham mais condições de pagar por seus estudos, ela teve que começar a trabalhar. Então, encontrou emprego como professora em uma escola onde o salário seria 1.500 rúpias (cerca de 82 reais). Mas ela nunca recebeu esse valor. “Nos dois primeiros meses eu recebi só 500 rúpias (equivalente a 27 reais), e depois nada. Então, depois de seis meses eu saí desse emprego”, diz. Alguns dias depois, outra escola lhe ofereceu emprego. O diretor a convidou para uma reunião de professores, e lá lhe ofereceram alguns doces. Mas eles continham algum tipo de droga que a fez perder a consciência.

Quando recobrou a consciência, Reena estava em um trem com outras adolescentes. Elas disseram que queriam ajudá-la, mas Reena desconfiou delas por achar que tinham algo a ver com o sequestro, e as mandou embora. Quando viu o nome da estação de trem, percebeu que estava a 15 horas de seu vilarejo. Com as poucas moedas que tinha no bolso, ligou para a única pessoa que conhecia naquela cidade. “Era uma amiga que veio me pegar com seus pais”, diz. Eles ligaram para os pais de Reena, que informaram a polícia; mas só depois de três dias é que deram ordem de prisão para o diretor da escola e os funcionários. No entanto, todos foram liberados depois.

Quando chegou em casa, seus pais a levaram ao hospital. Aos poucos, ela saiu do estado de choque, mas quando teve noção de tudo o que tinha acontecido, ficou com ainda mais medo. “Eu tinha todas essas perguntas: por que isso aconteceu? E por que comigo?”, compartilha. Ela estava tão abatida que não via mais razão para viver e até pensou em cometer suicídio. “Eu orei: Deus, eu te conheço, mas mesmo assim isso aconteceu comigo. Por quê? Eu estava totalmente devastada”. (Essa história continua).

*Nome alterado por segurança.

Revista Portas Abertas
Na revista deste mês, você pode ler a história de Reena e de outros cristãos perseguidos da Índia. Você vai ver como Deus os sustentou, e como usou a Portas Abertas para ampará-los nos momentos mais difíceis. Ao assinar a revista, você contribui para que nosso trabalho continue alcançando cristãos indianos e ao redor do mundo. Então, se você ainda não recebe a Revista Portas Abertas, clique aquipara saber como fazer.

Faltam 10 dias para o DIP!
O Domingo da Igreja Perseguida será no dia 27 de maio e o tema será a Índia, país onde a perseguição a cristãos cresceu no último ano. Ainda dá tempo de se cadastrar e fazer o DIP em sua igreja, um dia de clamor em favor dos nossos irmãos perseguidos. Para se cadastrar, clique aqui.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||