Conflitos com cristãos tribais em Mianmar são ignorados

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

24 de agosto de 2018.

Enquanto o mundo volta sua atenção para o povo muçulmano rohingya, de Mianmar, os cristãos envolvidos em outro conflito em Kachin são praticamente esquecidos, relata Geoffrey P. Johnston no jornal canadense The Wig. Milhares têm sido mortos e ao menos 120 mil desabrigados, em sua maioria cristãos, nesse estado onde o exército e o Exército Independente de Kachin (KIA, da sigla em inglês) têm lutado desde que os militares assumiram o controle do país em 1962.

Uma representante da Portas Abertas explica: “Os estados de Kachin, Shan e Kayin são famosos por suas madeiras valiosas, jade e comércio (ilegal) de ópio, e fazem parte do Triângulo Dourado”. O comércio ilegal beneficia tanto militares birmaneses quanto rebeldes do KIA. “Um dos resultados da perseguição dos Kachin, a longo prazo, é que os jovens não têm perspectiva de futuro. A educação é quase impossível, já que o estado não está interessado em educar o povo e não provê recursos. Há relatos de que o exército apoia o comércio de drogas para jovens como forma de impedi-los de lutar”, afirma.

Enquanto isso, de acordo com a Fox News, mais de 100 mil membros da tribo étnica Kayin, também de maioria cristã, definham em campos de refugiados ao longo da fronteira com a Tailândia. “Os campos que estão aqui por gerações, agora estão cheios de depressão, abuso de drogas e suicídio”, relata o veículo. A ajuda emergencial aos campos tem diminuído nos últimos anos porque o governo diz aos doadores internacionais que alcançaram a paz com os Kayin.

Um coordenador educacional dos campos, Hayso Thako, diz que há um aumento de pressão nas pessoas como resultado das reduções nas ajudas emergenciais. “As pessoas mais velhas estão aqui há tanto tempo que perderam a esperança de uma vida melhor. E para os jovens que tiram suas vidas, não há esperança visível”, explica. O reverendo Robert Htwa, fundador de um dos campos e missionário entre os Kayin, diz que os cortes de recursos também têm impactado em sua capacidade de oferecer apoio psicológico.

Pedidos de oração

  • Ore pelos Kachin, em especial pelos jovens, que eles possam ter acesso à educação e vejam em Cristo a principal esperança de futuro.
  • Apresente também os Kayin, que possam receber a ajuda necessária enquanto estiverem nos campos de refugiados.
  • Interceda pelas autoridades de Mianmar, que eles possam ser canal de benção na vida de todos esses cristãos.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||