Como vivem as babás cristãs na Península Arábica

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

23 de maio de 2017.

 

Algumas são trancadas em palácios de famílias árabes ricas. Outras conseguem até ir à igreja

A vida de algumas mulheres estrangeiras, normalmente de países asiáticos, que seguem a Cristo e que trabalham como babás em países da Península Arábica costuma ser difícil. No entanto, muitas aproveitam a oportunidade para espalhar a semente do evangelho, mesmo conhecendo o risco que estão correndo. "Nem todos os empregadores são maus", disse um cristão asiático que ministra a palavra por lá e conhece várias histórias sobre famílias muçulmanas que são gentis e solidárias com as cristãs.

Segundo ele, há dezenas de milhares de jovens solteiras, vindas da Índia, Filipinas e Nepal que trabalham na região, cuidando dos filhos de famílias ricas, além de executarem várias outras tarefas. Ele conta que a maioria mora na mesma casa que os patrões, onde trabalham seis dias por semana em tempo integral, além dos plantões de acordo com as necessidades dos empregadores. A preferência pelas cristãs acontece por causa da integridade e confiabilidade que elas apresentam.

O cristão, que pediu para não ser identificado por motivos de segurança, disse que algumas babás podem até mesmo ir à igreja e visitar os amigos. "Algumas meninas são abençoadas por conseguirem patrões bons", disse. Mas, segundo ele, que ministra o evangelho a elas, há algumas que não dão tanta sorte. "Muitas são tratadas como escravas e têm seus passaportes confiscados, o que torna impossível que deixem o país em caso de maus tratos. Outras trabalham duro e não são sequer bem alimentadas. Há também casos de abuso e violência", revela.

Motivos de oração

  • Em suas orações, lembre-se dessas cristãs que trabalham na Península Arábica e que são mal tratadas por seus empregadores.
  • Peça a Deus para que elas permaneçam firmes em sua fé, apesar das dificuldades que enfrentam.
  • Agradeça a Deus por aquelas que encontram boas famílias e que aproveitam a oportunidade de pregar o evangelho. Que elas permaneçam firmes e decididas em espalhar o amor de Cristo nesses países.

Revista Portas Abertas
A edição deste mês mostra como tem sido difícil a pregação do evangelho em regiões onde o cristianismo é hostilizado. Em países como Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Kuwait, Catar, Omã e Bahrein, que compõem a Península Arábica, ser cristão não é fácil. Mesmo assim, Deus te se revelado a muitos e há conversões acontecendo. Se você ainda não recebe a Revista em sua casa, cadastre-se agora mesmo e receba mais informações sobre a Igreja Perseguida.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||