Bangladesh: Aumentam atividades fundamentalistas no país

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

18 de março de 2016.

 

Notícias alertam para o renascimento da jihad em Bengala e sobre a formação de células que organizam diversos ataques e assassinatos

No Bangladesh, o Estado Islâmico (EI) têm assumido a autoria da maioria dos ataques ocorridos contra as minorias étnicas e religiosas, especialmente cristãos e estrangeiros. Mesmo assim, o governo nega que a presença dos radicais islâmicos tenha assumido no país um papel dominante, o que tem assustado muito os bengaleses. As atividades fundamentalistas têm aumentado rapidamente nos últimos dois anos.

De acordo com relatórios da Portas Abertas, o momento é de grande tensão: "Alguns militantes têm anunciado que grupos terroristas estão se preparando para jurar fidelidade ao EI e alguns artigos publicados nos principais jornais do país têm alertado que haverá um ‘renascimento da jihad’ em Bengala. O artigo mencionava a formação de células que organizaram vários ataques e assassinatos".

Apesar da situação alarmante, o atual governo de Bangladesh, sob a liderança da primeira-ministra Sheikh Hasina e do presidente Abdul Hamid, diz que tudo está sob controle; a polícia diz que não há uma presença ameaçadora do Estado Islâmico no país. Mas na última década, Bangladesh tem visto uma série crescente de ataques contra a comunidade cristã, que representa menos de 1% da população do país, que é o 35º da Classificação da Perseguição Religiosa em 2016, onde as igrejas estão enfrentando uma pressão grande da comunidade para que não preguem mais o evangelho aos bengaleses. Ore por eles.

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||