Após ataque que deixou 72 mortos, Paquistão prende mais de cinco mil pessoas

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

29 de março de 2016.

 

As autoridades paquistanesas prenderam mais de 5.2 mil pessoas após o atentado que deixou 72 mortos no domingo (28//03) em Lahore, na província de Punjab.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (29/03), o ministro da Justiça de Punjab, Rana Sanaullah, afirmou que a maioria dos detidos já foi libertada após ser interrogada e acrescentou que as forças de segurança iniciaram uma operação antiterrorista na região.

De acordo com Sanaullah, as autoridades do Paquistão prenderam 5221 pessoas. Destas, 5.002 foram liberadas após um interrogatório inicial, e 219 permanecem detidas.

Segundo o ministro, a operação teve participação da polícia, de forças especiais e do Departamento Antiterrorista. Ele acrescentou que as autoridades podem pedir apoio do Exército em caso de necessidade.

No domingo (27/03), um insurgente da cisão talibã Jaamat-ul-Ahrar detonou um colete de explosivos em um parque de Lahore. O atentado ocorreu à tarde, quando havia um grande número de famílias reunidas no local, e deixou 72 pessoas mortas e 350 feridas. O episódio foi o mais grave no país desde o ataque a uma escola em Peshawar em 2014, que matou 125 crianças.

Em entrevista à TV na segunda-feira (28/03), o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, prometeu "lutar" contra o terrorismo até "eliminá-lo". “Estou aqui para reiterar a nossa determinação na luta contra o terrorismo até que seja eliminado da nossa sociedade, disse. 

Fonte: EFE.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||