A rotina dos cristãos durante o Ramadã

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

05 de junho de 2017.

 

No mercado, os preços dos alimentos são mais altos e há trânsito após o período de jejum

Conflitos no Oriente Médio marcaram o início do Ramadã. Em muitos países houve atentados e ataques nos últimos dias. Desde o dia 27 de maio, muçulmanos fazem jejum até o pôr do sol e depois celebram com refeições em clima de festa, mas, por conta da hostilidade vinda de radicais islâmicos, os cristãos podem enfrentar uma rotina desagradável. Começando pelos preços dos alimentos que costumam subir bastante.

Em locais de trabalho, normalmente, aqueles que jejuam ficam um tanto sonolentos e cansados, às vezes, até agressivos. Muitos restaurantes ficam fechados. Um pouco antes da quebra do jejum, o trânsito fica congestionado, já que a maioria se reúne em família para fazer suas refeições especiais. Qualquer cidadão que viole as regras estipuladas para o Ramadã pode ser punido ou até mesmo preso, por isso, os cristãos devem ser cautelosos.

Shams Shamaun, ativista de direitos humanos de Hyderabad, no sul do Paquistão, disse que a lei discrimina as minorias religiosas. Na Indonésia, o país com o maior número de muçulmanos no mundo, as autoridades destruíram milhares de garrafas de cerveja e outras bebidas para lembrar que o consumo de álcool é contra os princípios do islã. Ore pela Igreja Perseguida em todos os países onde o Ramadã é comemorado. Interceda pelos nossos irmãos em Cristo e ore pelos perseguidores, para que sejam impactados pelo amor de Jesus.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||