A igreja latino-americana dá um grito de fé

“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

12 de janeiro de 2016.

 

Os cristãos na América Latina que se esforçam para que haja justiça em relação à perseguição religiosa, decidiram dar um grito de fé. Enquanto as vozes dos conselhos indígenas, as quadrilhas criminosas e os grupos guerrilheiros tentam forçá-los a ficar em silêncio, eles lutam para abrir espaço para o cristianismo.

Ana Silvia*, por exemplo, uma professora de uma escola na Colômbia, se incomodou ao ver crianças cristãs participando de ritos e tradições pagãs na escola, por isso ela passou a lutar por uma educação cristã. "Não foi uma boa ideia para os colombianos e sua voz incomodou o Conselho Indígena que providenciou guerrilheiros para ameaçá-la. Como ela não se calou, e as ameaças se tornaram públicas, o governo concedeu um guarda-costas para a professora e sua família", explicou um dos analistas de perseguição.

Para a maioria dos cristãos da Igreja Perseguida latino-americana, somente a paz e a justiça de Deus pode realmente curar uma nação. "Eles estão conscientes de que suas manifestações podem ocasionar vários problemas, mas eles sabem que Deus é com eles nos momentos difíceis. Marina* e Yonny* são a prova viva disso. "Tem dias que ficamos tristes, nos sentimos sozinhos e até com medo, mas Deus nos dá coragem e vamos lutar até o fim", finalizam com esperanças de dias melhores.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

 

Fonte: Portas Abertas.

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||