A cristã Maryam Zargaran fala sobre a vida pós-prisão

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.” Mateus 24:9

05 de junho de 2018.

 

Conversamos com a cristã Maryam Naghash Zargaran alguns meses após ser libertada da prisão no Irã, onde cumpriu pena de quatro anos por causa da fé em Jesus. Ela ganhou liberdade em 1 de agosto de 2017. A cristã disse que seu corpo ainda não se acostumou à vida do lado de fora da prisão, e revela que ainda tem dificuldade para dormir e quase não tem apetite. “Quando saí da prisão, tudo o que eu queria era correr, correr, correr... e queria dirigir sem parar – como se isso fosse possível no trânsito de Teerã”, brinca. Ela diz que está bem, mas que não se sente livre ainda. “Eu não posso fazer o que realmente queria aqui no Irã: servir a Deus no lugar que ele me chamou para servir”, afirma.

Contamos para a cristã que milhares de pessoas estavam orando por ela durante o tempo que estava presa, e que centenas de pessoas lhe escreveram cartas. Ela quase não acreditou, dizendo: “Eu pensei que tivesse sido esquecida, mas tantas pessoas estavam pensando em mim?” As autoridades não lhe entregavam as cartas e cartões na prisão, mas lhe mostramos alguns digitalizados. O primeiro é de uma menina de 11 anos da Austrália – um cartão colorido cheio de adesivos. Quando traduzimos, ela colocou a mão no rosto e começou a soluçar.

Maryam dava aula de música para crianças e diz que no primeiro dia de aula sempre chorava na prisão. “Eu sentia tanta saudade das crianças, eu não as vi por quatro anos. Agora sei que não somente eu estava pensando nelas, mas elas pensavam em mim também, e até mesmo oravam por mim”. Maryam disse que para ela é um milagre que tantas pessoas estivessem orando por ela, algumas de países que ela nem sabia que existia. “É uma grande fonte de força para mim. Gostaria de agradecer a todos. Talvez nunca os encontre ou consiga abraçá-los e dizer que os amo, mas quero dizer muito obrigada. Somos uma família em Cristo”, conclui.

Agradeça a Deus pela vida de Maryam e por esse tempo fora da prisão. Que ela possa se recuperar emocionalmente e ser curada de todo trauma e dor. Clame para que Deus a guarde e dirija seus passos. E que continue servindo ao Senhor e sendo uma testemunha viva do seu poder.

Fonte: Portas Abertas

voltar para Perseguições

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||