"Um cristão não pode ser um anti-semita" - afirmou o líder da igreja católica romana

06 de novembro de 2018.

 

No rescaldo do massacre de Pittsburgh, que deixou 11 judeus mortos, o líder supremo da Igreja Católica Romana, Francisco I, afirmou hoje durante uma audiência com judeus no Vaticano que um cristão não pode ser um anti-semita.
 
Quase duas semanas depois do massacre que abalou a América e uma parte do mundo, Francisco I lamentou o terrível acontecimento: " Lamentavelmente, atitudes anti-semitas estão também presentes nos nossos dias." A audiência de hoje teve a presença de vários elementos dos chamados "judeus dos montes", descendentes de judeus que deixaram a antiga Pérsia e se estabeleceram no Cáucaso.
 
"Um cristão não pode ser um anti-semita" - afirmou o líder católico, acrescentando: "Partilhamos as mesmas raízes. Seria uma contradição à fé e à vida. Somos pelo contrário chamados a nos comprometermos de forma a assegurarmos que o anti-semitismo é banido da comunidade humana."
 
Logo no dia a seguir ao massacre, Francisco I partilhou nas suas preces semanais que "todos nós ficámos feridos por este acto desumano de violência."
 
O líder católico afirmou ainda aos judeus hoje presentes: "Sempre procurei enfatizar a importância da amizade entre judeus e católicos. Ela é baseada numa fraternidade enraizada na História da salvação e encontra expressão concreta no cuidado de uns para os outros. Juntamente convosco, gostaria de oferecer acção de graças ao Dador de cada dádiva para a bênção da nossa amizade, a qual é uma razão e ímpeto para o diálogo mútuo."


Fonte: Shalom, Israel!

Enviar comentário

voltar para Israel

fwR fsN tsY show center|left tsN fwR|show fwR center|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase|content-inner||